Parceria entre a Fundação BB, Banco do Brasil e Associação de Amigos do Jardim Botânico traz inovações digitais para promoção da educação ambiental

Facilidades para compra de ingressos, maior cobertura wi-fi, e aplicativo de visita interativa. O aniversário de 210 anos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, comemorado em 13 de junho, traz uma série de inovações que marcarão a experiência de visitação ao espaço. Como parte das celebrações, serão lançadas também novas trilhas, além de medalha e selo comemorativos.

O projeto “Transformação Digital e Educação Ambiental do Jardim Botânico do Rio de Janeiro” realizado com apoio da Fundação BB, Banco do Brasil e Associação de Amigos do Jardim Botânico (AAJB) disponibilizará um aplicativo interativo para smartphones e tablets. O app – já disponível para os sistemas iOS e Android - traz informações sobre trilhas, plantas, animais e monumentos e um mapa com a localização dos principais atrativos e pontos de interesse. A iniciativa está alinhada com o esforço do BB e entidades ligadas em contribuir para a inclusão e transformação digital da sociedade brasileira, e terá o investimento total de R$ 3,4 milhões.

A finalidade é levar informações relevantes de educação ambiental de forma lúdica e didática. Uma das funcionalidades presentes é a visitação por meio de realidade virtual, com roteiros em 360º pelas trilhas locais. Dessa forma, será possível que educadores realizem atividades, inclusive, com alunos de escolas distantes.

Com a expansão da cobertura da rede wi-fi, a ferramenta também poderá ser baixada e usada em qualquer ponto do Jardim. Um segundo módulo do aplicativo - com previsão de entrega até dezembro de 2018 - incluirá jogos que ajudam a conhecer melhor a flora e a fauna dos ecossistemas.

"Essas inovações vão ajudar a levar o Jardim Botânico para crianças que não têm condições de vir aqui e ajudar as pessoas a conhecerem mais da sua história", disse o presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, durante a celebração de aniversário do parque.

Outra inovação decorrente do projeto irá atender uma das reivindicações mais antigas dos frequentadores: a compra de entradas por meio de cartões de débito de todas as bandeiras. Ainda estão previstas novas possibilidades de pagamento, como a compra de ingressos pela Internet, aplicativo e cartão de crédito, disponíveis até 2019. No dia do aniversário, a visita será gratuita.

Outra boa notícia é que os carrinhos elétricos voltarão a circular diariamente, com novos fluxos e intervalos. Agora o visitante poderá descer nos pontos de parada ao longo das vias, aproveitar cada atração com calma e continuar o passeio no carrinho seguinte, que passará a cada 30 minutos. Desta forma, é possível atender a um número maior de pessoas. O sistema de controle de acesso das catracas também foi renovado, agilizando a mobilidade dos visitantes.

Para o presidente do Jardim Botânico, Sérgio Besserman, as novidades vão contribuir para estimular a consciência ambiental. "Vamos ter muitas outras possibilidades para que todos os visitantes do jardim, além do contemplativo, possam adquirir informações que lhe interessem e, certamente, vão engajar mais seu coração na luta pela conservação da natureza." 

Novas Trilhas
Na tarde de 13 de junho, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro inaugura os Caminhos do Sagrado. Trata-se de um conjunto formado pelo Jardim Bíblico – que reabre reformulado e com placas informativas sobre as espécies –, e duas novas trilhas: a Indígena e a Africana.

O Jardim Bíblico apresenta sete espécies de plantas mencionadas na Bíblia (TEB), como a oliveira (Olea europaea L.) e a arruda (Ruta graveolans L.). Cada placa interpretativa traz o trecho onde a planta é mencionada, com a referência do livro, capítulo e versículo correspondente.

A Trilha Africana é composta de 19 espécies de plantas. Além do nome popular e do científico, as placas trazem o nome e o uso de cada planta nas religiões africanas ou afro-brasileiras. Fazem parte da trilha tanto espécies originárias da África, como a noz-de-cola (obi) e o flamboyant, quanto outras que são utilizadas nos rituais em substituição a alguma espécie africana, como é o caso da gameleira.

Na Trilha Indígena, são encontradas 17 espécies identificadas por seus nomes populares, científicos e ameríndios. Também são indicados seus usos tradicionais e, em alguns casos, os usos recentes, como a fabricação de arcos de violino com pau-brasil e a produção de cosméticos com várias outras espécies.

Selo e medalha
Para tornar os 210 anos do Jardim Botânico realmente inesquecíveis, os Correios farão no dia 13 de junho o lançamento de um selo e um carimbo personalizados da data. A imagem escolhida foi a da vitória-régia, espécie que, assim como as palmeiras-imperiais, é uma das principais atrações do JBRJ. O selo estará à venda nas agências dos Correios e na loja da AAJB, no Jardim.

A Casa da Moeda, por sua vez, cunhou uma medalha comemorativa dos 210 anos, com a paisagem que reúne o Lago e o Cômoro Frei Leandro e a vitória-régia. A medalha tem edição limitada e será entregue a ex-dirigentes da instituição e a autoridades que colaboraram para que o Jardim Botânico continue a ser uma das mais importantes instituições de pesquisa do mundo em sua área e um dos lugares mais belos e queridos do Rio de Janeiro e do Brasil.

A divulgação deste projeto está relacionado aos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030:

04ods 100x100 09ods 100x100 010ods 100x100 011 ods 100x100 014ods 100x100 015ods 100x100 017ods 100x100

 

Publicado em Notícias

Novas tecnologias ampliarão a experiência do visitante com educação ambiental e cultura digital em um dos pontos turísticos mais visitados do Rio de Janeiro

Projeto desenvolvido por meio de parceria entre o Banco do Brasil, Fundação Banco do Brasil, Jardim Botânico do Rio de Janeiro e Associação de Amigos do Jardim Botânico visa promover ações de educação ambiental e ampliar a experiência dos visitantes no Jardim Botânico. A iniciativa está alinhada com o esforço do BB e entidades ligadas em contribuir para a inclusão e transformação digital da sociedade brasileira, e terá o investimento total de R$ 3,4 milhões.

Entre os destaques estão o desenvolvimento de um aplicativo, com passeios por trilhas virtuais interativas, realidade aumentada, geolocalização dos principais pontos, game educativo e a ampliação da rede Wi-fi gratuita para acesso aos visitantes.

O projeto traz maior acessibilidade aos visitantes por meio da reativação dos carrinhos elétricos para o transporte de pessoas com dificuldades de locomoção.

O app irá permitir ainda a visitação do Jardim Botânico à distância, via realidade virtual. O projeto prevê que, além das visitas presenciais, alunos da rede pública de ensino poderão desfrutar de passeios virtuais, com óculos de realidade aumentada.

Patrimônio vivo

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro é reconhecido como patrimônio nacional pelo Iphan e reserva da biosfera da Mata Atlântica pela Unesco e considerado um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais nas áreas de botânica e conservação da biodiversidade. Recebe cerca de 700 mil visitantes por ano.

Foi fundado em 1808, assim como o Banco do Brasil, a partir da vinda da família real portuguesa ao Brasil. Hoje, tem 570 mil metros quadrados de área verde abertos à visitação e cerca de 3.350 espécies de plantas cultivadas, de ecossistemas brasileiros e de outros países. A planta mais conhecida do Jardim, que se tornou seu símbolo, é a palmeira-imperial. O espaço abriga ainda seis jardins temáticos, 15 lagos e uma área remanescente da Mata Atlântica.

O público também pode apreciar a paisagem de prédios históricos e monumentos, como a Casa dos Pilões, as estátuas de Eco e Narciso, de autoria de Mestre Valentim, e o portal da Academia de Belas Artes, projetado pelo arquiteto francês Grandjean de Montigny. Outro atrativo é o Museu do Meio Ambiente, espaço de exposições, programas de educação ambiental e debates.

Inclusão e transformação digital da sociedade brasileira

Complementar aos próprios esforços que o Banco do Brasil vem realizando para a transformação digital de seus processos e negócios, o Banco decidiu contribuir também para a transformação do Brasil por meio de Inovação e Inclusão Digital da sociedade, promovendo a democratização do acesso aos meios digitais e às tecnologias da informação, de forma a permitir aos participantes e às suas comunidades o aproveitamento das oportunidades e dos benefícios decorrentes da era da informação.

Nesse sentido, são desenvolvidas iniciativas pelo BB e seus parceiros que estejam correlacionadas a um dos objetivos:

- Inovação e Empreendedorismo: Contribuir para a educação financeira e educação no ambiente digital e para o estímulo a Inovação, Empreendedorismo e Inclusão Socioprodutiva, via tecnologias e meios digitais;

- Acesso Digital: Apoiar a Inclusão Digital disponibilizando e estimulando o acesso à internet e às tecnologias digitais;

- Cultura Digital: Ampliar oportunidades culturais e de acesso ao conhecimento desenvolvendo abordagens transversais, a partir de conteúdo do BB e de seus parceiros, de relevante alcance cultural e social por intermédio de tecnologias e meios digitais.

O apoio da Fundação Banco do Brasil ao Jardim Botânico do RJ reforça o objetivo de fomentar a inovação e a cultura digital, fortalecendo os laços com a sociedade brasileira.



A divulgação deste projeto contempla sete Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

04ods 100x100 09ods 100x100 010ods 100x100 011 ods 100x100 014ods 100x100 015ods 100x100 017ods 100x100

 

Publicado em Notícias