Mostrando itens por marcador: jovens

Segunda, 19 Fevereiro 2018 10:57

Divina Providência pela educação que transforma

Fundação BB apoia iniciativa de inclusão socioprodutiva por meio de oficinas para crianças e jovens

O projeto "Divina Providência", criado em parceria com o Centro de Formação da Divina Providência, em Encruzilhada do Sul (RS), que atualmente tem mais de 25 mil habitantes, recebeu investimento social de R$ 170 mil. A entidade atende cerca de 130 crianças e adolescentes de famílias de baixa renda do município distante 170 km de Porto Alegre, com ações socioeducativas, como oficinas de artesanato, ludicidade e culinária, além das aulas de capoeira, judô, informática, música e teatro.

A instituição, criada em 2003, há tempos está com estrutura física desgastada e necessita de reparos e outras obras. Com o apoio recebido da Fundação Banco do Brasil, começou a manutenção do espaço para adequá-lo ás necessidades dos jovens. Também foram adquiridos materiais didáticos, pedagógicos e equipamentos como geladeira e armário.

Elisa Maria, tesoureira da entidade, informou que serão instaladas lixeiras aramadas, destinadas ao recolhimento do lixo seco, nas imediações da instituição que fica na Vila da Fonte.  “Temos um programa de Educação Ambiental no qual incentivamos nossos alunos a recolherem material reciclado, e eles são retribuídos com uma pontuação criada, a da moeda estrela”, disse.  Elisa explicou que esta bonificação proporciona a entrega de material arrecadado junto á comunidade, tal qual material escolar e vestuário.
 
A comunidade vizinha ao Centro de Formação é constituída em sua maioria por trabalhadores rurais que fazem a colheita em grandes plantações, sendo conhecidos como trabalhador rural sazonal.  

Além do apoio da Fundação BB neste projeto a entidade promove ações socioeducativas e de inclusão socioprodutiva com o auxílio de parceiros como Fundação do Bem - grupo Tramontina, prefeitura municipal, secretaria estadual do trabalho e desenvolvimento social, Banrisul além de representantes do meio empresarial do município.

A divulgação deste assunto contempla três Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

01ods 100x100 08ods 100x100 010ods 100x100      

Publicado em Notícias

Projeto no interior de Sergipe pretende criar duas metodologias de ensino para reaplicação em escolas

Santa Luzia do Itanhy, a 86 quilômetros de Aracaju, precisa de ações de geração de renda para os 14 mil habitantes - 36 por cento das famílias vivem abaixo da linha da pobreza extrema, a maior parte na área rural (dados do IBGE e Ministério do Desenvolvimento Social). Desse desafio, surgiu o projeto do Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação (IPTI) para promover a formação técnica de jovens em várias atividades e ao mesmo tempo prepará-los a disseminar os conhecimentos para outros estudantes.

O projeto em parceria com a Fundação Banco do Brasil, chamado Alba - Academia de Linguagens e Belas Artes, com investimento social de R$ 237 mil, vai desenvolver duas metodologias de ensino com a participação de estudantes a partir de 11 anos. Uma delas será desenvolvida por meio da robótica. Os participantes vão desenvolver linguagem de programação e um robô que auxiliará no aprendizado de português e matemática nos primeiros anos do ensino fundamental. A outra metodologia será destinada ao aprendizado de inglês. A ideia é que elas possam ser reaplicadas pelos participantes em escolas, em suas comunidades ou qualquer outra localidade do Brasil.

Além de atuar com educação, o projeto pretende incentivar a ação empreendedora dos jovens para ampliar oportunidades de renda, trabalhando entre eles os conceitos de economia criativa, conjunto de atividades relacionadas à produção e distribuição de bens e serviços que utilizam a criatividade e as habilidades dos indivíduos ou grupos como elemento principal. "Precisamos fomentar a permanência destes talentos nos seus municípios e para isso estimular o empreendedorismo criativo é a nossa estratégia", explica o coordenador geral do projeto, Saulo Barretto.

Por meio de distintos projetos que envolvem formação técnica, o instituto vem incentivando a economia criativa entre pessoas de 11 a 25 anos. Duas empresas já se formaram entre os participantes das atividades – uma de ilustração e outra de artesanato – e uma terceira está em formação na área de software. Há ainda grupos que trabalham com audiovisual e música eletrônica.

O ensino de inglês será um complemento importante, pois vai permitir aos atendidos pelo instituto ampliar as possibilidades de estudo e de negócios com outros países. "Quem estiver no nível de conversação, poderá falar com jovens e empresas do mundo inteiro."

A divulgação deste assunto contempla três Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

01ods 100x100 04ods 100x100 010ods 100x100      

 

Publicado em Notícias

Fundação BB vai destinar R$70 mil para a aquisição de computadores e para formação em tecnologias da informação e em conhecimentos para o primeiro emprego

No norte do Brasil, muitos jovens optam por abandonar os estudos no intuito de se tornarem independentes ou até mesmo para ajudar no orçamento familiar, ficando à mercê da violência e da exploração do mercado de trabalho informal.

Para reduzir a evasão escolar e contribuir com a inclusão social e a empregabilidade de adolescentes em programas que não atrapalhem os estudos, a Associação para o Desenvolvimento Coesivo da Amazônia (ADCAM) desenvolveu a oficina Quero Ser Aprendiz.

O trabalho agora vai ser reforçado com a implantação de uma sala de informática, construída com o investimento social da Fundação Banco do Brasil. O convênio, assinado nesta sexta-feira (09), faz parte do projeto Voluntários BB/FBB 2016 e vai destinar cerca de R$ 70 mil para a aquisição e instalação de computadores e para formação de 80 adolescentes de Manaus (AM).

O projeto tem como objetivo possibilitar o acesso às novas tecnologias da informação, por meio de cursos de informática e capacitações de conhecimentos, habilidades e atitudes exigidos no mercado de trabalho, como preparatório para programas como o Jovem Aprendiz.

Para que os participantes se desenvolvam melhor nas entrevistas de emprego, o projeto oferece ainda outras atividades como acompanhamento psicossocial, testes vocacionais e oficinas de elaboração de currículo.

Para Simone Sodré, coordenadora de projetos da instituição, a ideia é desenvolver o aspecto profissional dos alunos. “Essa fase da vida é muito complicada, então, o projeto vai ajudar a despertar as capacidades dos adolescentes e fazer com que eles entrem no mercado de trabalho mais preparados, porque eles não tem recursos financeiros para fazer essa preparação.”

Francimara Amaral é jovem aprendiz e destaca como a formação foi importante para sua formação profissional. “Participar desse curso foi muito importante, me ajudou a melhorar minha postura nas entrevistas de emprego e a me sair bem no processo do jovem aprendiz.”

Publicado em Notícias