Parceria entre a Fundação BB e Sebrae gera novas oportunidades ao produtor rural

Após duas fases implementadas com sucesso, o projeto Bioma Caatinga chega à terceira etapa com investimento social de mais de 1,5 milhão, R$ 778 mil da Fundação BB e R$ 791 mil do Sebrae- BA. O Bioma Caatinga é uma iniciativa que promove o fortalecimento da cadeia produtiva da caprinocultura e ovinocultura da Bahia, no território conhecido como Sertão do São Francisco.

Na nova fase, serão contratados 20 agentes de Desenvolvimento Rural Sustentável (ADRS), que atuarão junto a 600 criadores, com orientações técnicas produtiva, reprodutiva e sanitária do rebanho, para comercializar produtos diretamente com açougues, mercadinhos e supermercados, sem atravessadores, agregando maior valor ao produto.

Iniciado em 2010, o projeto teve como parceira a Associação Comercial Industrial e Agrícola de Juazeiro. Naquele ano, o valor investido foi de R$ 238 mil, usado para mapear a produção de ovinos e caprinos em cinco municípios baianos - Juazeiro, Uauá, Remanso, Curaçá e Casa Nova - e para identificar as carências e condições de vida das famílias.

Em dezembro de 2015, novo convênio com o valor de R$ 1,4 milhão firmado com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-BA) teve como meta dar assistência técnica gerencial aos criadores de ovinos e caprinos nas mesmas cidades, atendendo cerca de 1.050 produtores rurais. Nesta fase, também foi prestada assistência técnica empresarial às micro e pequenas empresas (MPEs), integrantes da cadeia produtiva, como açougues, casas de ração, minimercados e abatedouros, com a finalidade de aproximar as partes interessadas, melhorar os índices de produção, reduzir custos e, consequentemente, melhorar a renda do produtor rural.

A parceria também atuou na organização das rotas de produção - acomodando os criadores em torno dos mercados consumidores locais, como forma de reduzir custos e distâncias. Também foram aperfeiçoadas técnicas de preparo de ração; de plantio de palma forrageira, utilizada para o pasto dos rebanhos; na vermifugação; no tratamento de cascos e antecipação do desmame.

Presente no lançamento da terceira fase, o superintendente regional do Banco do Brasil, Moisés Cunha, falou sobre a satisfação com a renovação da parceria e continuidade das melhorias na cadeia produtiva de caprinos e ovinos na região. “Nosso objetivo é oferecer ao produtor condições para que ele cresça, aumente sua renda e amplie as atividades, e isso vem sendo atingido com o Bioma Caatinga. Vamos continuar o trabalho conjunto, investindo na capacitação e levando inovação para o homem do campo”, destacou.

A divulgação deste projeto está relacionada aos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS:

02ods 100x10008ods 100x100010ods 100x100

 

Publicado em Notícias

Censo Maré, uma das vencedoras em 2015, aumentou a participação popular nos debates de questões sociais. Inscrições deste ano estão abertas até 31 deste mês

Aumento na mobilização dos moradores e na visibilidade do conjunto de favelas da Maré são as principais conquistas apontadas pela Associação Redes de Desenvolvimento da Maré e o Observatório de Favelas após o reconhecimento de sua tecnologia social na última edição do Prêmio de Tecnologia Social em 2015.

O projeto Censo Maré venceu na categoria Meio Urbano. Segundo o coordenador do projeto, Dalcio Marinho Gonçalves, “a certificação teve um impacto extraordinário na motivação e na autoestima dos colaboradores do Censo Maré e da associação. O Prêmio significou um reconhecimento do esforço e da dedicação de todos os colaboradores - ou tecedores da instituição, como preferimos chamar”, disse.

O projeto iniciou em 2012 a partir de pesquisa sobre as condições de habitação, lazer e oferta de serviços públicos da comunidade. Quase totalidade dos domicílios da região – 92% de aproximadamente 48 mil casas - foi visitada na ocasião. O produto final foi a publicação do Guia de Ruas da Maré. As ações foram realizadas por meio de mobilização comunitária e seguiu procedimentos técnicos adotados por órgãos oficiais, como o IBGE.

Gonçalves destaca alguns dos principais avanços posteriores ao reconhecimento: inauguração de espaço próprio para a mobilização e formação de mulheres em torno de questões comunitárias, geração de renda e trabalho e estabelecimento de fórum de debate para propor medidas de ampliação da segurança pública.

Tanto os dados do Censo Maré quanto a qualificação dos moradores para atuar no levantamento contribuíram para subsidiar novos projetos sociais na comunidade e para construir parcerias com o SEBRAE, a Fundação Getúlio Vargas e a ONG francesa Positive Planet. O coordenador acrescenta que a metodologia também permitiu o apoio da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Queen Mary University of London e o Newton Fund na pesquisa sobre a violência a partir a perspectiva das mulheres.

Inscrições abertas

A edição 2017 do Prêmio está com inscrições abertas até 31 deste mês. São seis categorias nacionais: "Água e Meio Ambiente"; "Agroecologia"; "Economia Solidária"; "Educação"; "Saúde e Bem-Estar" e "Cidades Sustentáveis e Inovação Digital" e uma categoria internacional "Água e Meio Ambiente, Agroecologia ou Cidades Sustentáveis". A categoria internacional é destinada a iniciativas realizadas em um ou mais países da América Latina e do Caribe, e que possam ser reaplicadas no Brasil. A participação é aberta a instituições sem fins lucrativos, como fundações, organizações da sociedade civil, instituições de ensino e pesquisa.

O primeiro lugar de cada uma das categorias será premiado com R$ 50 mil e as 18 instituições finalistas vão receber troféu e vídeo retratando sua iniciativa. Além disso, as tecnologias sociais que promovem o protagonismo e o empoderamento feminino vão receber um bônus de cinco por cento na pontuação total obtida.

O concurso tem a cooperação da UNESCO no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Os resultados de cada etapa do Prêmio serão divulgados no site da Fundação Banco do Brasil (www.fbb.org.br) e no BTS (tecnologiasocial.fbb.org.br ).

A leitura do regulamento e o procedimento de inscrição podem ser feitos no site: www.fbb.org.br/premio

A divulgação deste prêmio contempla todos osObjetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17

 

 

Publicado em Notícias