Terça, 28 Novembro 2023 16:10

Fundação Banco do Brasil resgata o "Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas" Destaque

Escrito por Assessoria de Comunicação
Avalie este item
(1 Votar)

 portal Memoria Lelia abertura

O projeto vai promover a reflexão e conscientização sobre a estrutura e o funcionamento do racismo e sexismo na sociedade

A Fundação Banco do Brasil anuncia hoje, 27 de novembro, o resgate do "Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexista". Com previsão de início em dezembro de 2023 e término em outubro de 2026, o projeto vai ser desenvolvido em todas as regiões do Brasil nas seguintes cidades: Brasília (DF), Salvador (BA), São Luís (MA), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e Belém (PA).

A proposta objetiva, através do legado de Lélia Gonzalez, fomentar estratégias de reflexão e conscientização sobre a estrutura e o funcionamento do racismo e sexismo na sociedade. A iniciativa visa incentivar educandos, educadores, gestores e demais indivíduos a reconhecer, criticar e combater atitudes racistas e sexistas em seu cotidiano.

“Ao promover a releitura do Projeto Memória de Lélia Gonzalez, a Fundação BB contribui para o compromisso do Banco do Brasil de reconhecimento e valorização da diversidade étnico-racial brasileira, por meio de práticas pedagógicas inclusivas.”, comenta a presidenta do BB, Tarciana Medeiros.

A Fundação Banco do Brasil vai aportar cerca de 3,5 milhões de reais para essa iniciativa. Segundo o presidente da Fundação BB, Kleytton Morais, idealizar este projeto é manter viva a lembrança de Lélia e toda a sua dedicação à temática. “Lélia é e continuará sendo o grande exemplo que inspira o labor desta geração de guerreiras, que marca e demarca a trajetória da luta contra o racismo e o sexismo no Brasil. Ao legado de Lélia Gonzalez, o movimento negro e o Brasil devem muito.", afirmou o presidente da Fundação BB.

Trajetória de Lélia Gonzalez

Lélia Gonzalez (1935-1994) emergiu como uma das vozes mais proeminentes na abordagem da questão racial, destacando-se por sua rara perspicácia e objetividade ao denunciar a situação da população negra no Brasil.

Natural de Minas Gerais, Lélia passou a maior parte de sua vida no Rio de Janeiro. Sua significativa obra acadêmica e seu engajamento como militante não apenas estimularam o diálogo sobre a problemática racial no Brasil, mas também exploraram, principalmente, dois temas interligados: a ideologia do branqueamento e seus impactos, assim como a dupla exposição enfrentada pela mulher negra, sujeita à discriminação tanto racial quanto de gênero.

Projeto Memória

O Projeto Memória foi um programa criado pela Fundação Banco do Brasil que busca resgatar e preservar a vida, pensamento, obra e fatos marcantes que contribuíram significativamente para a transformação social e construção da cultura brasileira. Importantes personagens brasileiros negros já foram homenageados pelo programa, entre eles Lélia Gonzalez, João Cândido, Marechal Rondon, e Josué de Castro, com o objetivo de resgatar, difundir, e preservar a memória cultural brasileira. Lélia Gonzalez foi a última homenageada na edição do Memória realizado em 2015. O projeto, retomado agora, em 2023, vai promover estratégias de reflexão e conscientização sobre a estrutura e o funcionamento do racismo e sexismo na sociedade, estimulando estudantes, professores, gestores das áreas de educação e cultura, e formadores de opinião. A perspectiva é fomentar a crítica e o combate a atitudes racistas a partir da identificação/reconhecimento destas manifestações no cotidiano. A revitalização do Projeto Memória Lélia Gonzalez, originalmente lançado em 2013, vai destacar e valorizar a trajetória da homenageada e seu legado nos campos da história, cultura, ativismo e consciência social. Serão produzidos livros e audiolivros, além de formulação de site do projeto para apoiar atividades em salas de aula de escolas de diversas capitais em todas as regiões do Brasil, como Brasília, Salvador, São Luís, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Belém. A perspectiva é que a exposição consiga abranger cerca de 14 mil estudantes de escolas públicas.

Sobre a Fundação Banco do Brasil

Há quase quatro décadas, em 1985, o Banco do Brasil instituiu sua Fundação para contribuir com a transformação social dos brasileiros e com o desenvolvimento sustentável do país. É a principal instituição gestora dos projetos socioambientais apoiados por meio do Investimento Social Privado - ISP do BB e de parceiros. Nos últimos 10 anos, foram investidos R$ 2,6 bilhões em 10 mil iniciativas que impactaram positivamente a vida de 6,6 milhões de pessoas. Os eixos de atuação são: Tecnologia Social (eixo transversal), Educação para o Futuro, Meio ambiente e Renda, Saúde e Bem-estar, Ajuda Humanitária e Voluntariado.

Ler 5153 vezes Última modificação em Segunda, 04 Dezembro 2023 09:56

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.