A Fundação apresentou à Aberje a cerimônia e as etapas mais relevantes na organização do Prêmio de Tecnologia Social. A premiação foi realizada em Brasília, em 23 de novembro de 2017 

Pelo terceiro ano consecutivo, a Fundação Banco do Brasil é destaque regional (Minas Gerais e Centro Oeste) do Prêmio Aberje - Associação Brasileira de Comunicação Empresarial. Neste ano, o case escolhido foi o evento do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social na categoria Comunicação e Organização de Eventos. Com isso, a FBB é também finalista nacional do Prêmio, em disputa na categoria com Nissan, Livelo, Enel e PUC-RS. A próxima etapa será a divulgação dos vencedores da categoria nacional, prevista para o dia 26 de novembro. A premiação também foi conquistada pela Fundação BB em 2017, com 10º Encontro de Jornalistas, na categoria Comunicação e Relacionamento com a Imprensa; em 2016, com o case Fundação Banco do Brasil – Há 30 anos Transformando a Historia de quem Transforma, na categoria Responsabilidade Histórica e Memória Empresarial; e em anos anteriores: 2007, 2006, 2004 e 2003.

Criado em 2001, o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologias Sociais tem como objetivo disseminar soluções simples, baratas, criativas e efetivas para problemas sociais de diversas áreas. O Prêmio é o principal instrumento de identificação e certificação de tecnologias sociais que compõem o Banco de Tecnologias Sociais – BTS. Em 2017, o Prêmio incluiu pela primeira vez a categoria internacional e contou com 21 iniciativas inscritas da América Latina e Caribe.

Digno de prêmio

Para a seleção deste ano, a Fundação apresentou à Aberje a cerimônia e as etapas mais relevantes na organização do Prêmio de Tecnologia Social. A premiação foi realizada em Brasília, em 23 de novembro de 2017 e reuniu mais de 650 convidados - representantes das instituições finalistas, instituições apoiadoras, patrocinadores, entidades governamentais, instituições do terceiro setor, jornalistas, funcionários da FBB e Banco do Brasil.

Ariana Leotti, assessora de comunicação da Fundação BB, disse que "poder contribuir na coordenação do evento mais importante da FBB e que impacta positivamente a vida das pessoas é gratificante". "Foram meses de dedicação, que resultaram numa experiência emocionante e inspiradora", conta. O Prêmio da Fundação Banco do Brasil é bianual e em 2019 chegará a sua 10ª edição.

Em todas as etapas do Prêmio, a linha criativa utilizou o conceito “a melhor ideia é compartilhar”. Desta forma, a tecnologia social premiada na edição de 2015 - Água Viva – Mulheres e o Redesenho da Vida no Semiárido do Rio Grande do Norte” foi inspiração para a construção do Prêmio de 2017. Estas mulheres, que residem em um assentamento, construíram um sistema de filtragem de águas cinzas provenientes de atividades domésticas usando materiais encontrado na comunidade, sendo um deles palha do coqueiro. Ela forma uma trama (bucha) que auxilia o processo de filtragem da água cinza. O sistema recebeu o nome de “Água Viva” por ser uma água que se renova e gera vida.

Ao fazer esta escolha, a Fundação além de compartilhar a ideia, deu destaque ao “ODS 05 – Igualdade de Gênero” e também a sustentabilidade. Outra inovação foi reduzir a quantidade de resíduos sólidos porque não houve impressões em lona. Optou-se pelo painel de LED para ambientar o palco da cerimônia que foi dividido em três trapézios, de forma que todos da plateia tivessem uma visão privilegiada dos vídeos das finalistas do prêmio. O evento ainda teve a participação da cantora Paula Lima como mestre de cerimônias e da cantora Elba Ramalho, que fez o show de encerramento.

O gerente de comunicação da Fundação Banco do Brasil, Emerson Weiber, avalia que ser vencedor no Prêmio Aberje é um importante reconhecimento à Fundação que amplia a sua reputação e credibilidade junto a seus públicos de relacionamento. O evento teve transmissão ao vivo no canal da Fundação BB no Youtube, obteve mais de 2.000 visualizações e teve uma tradutora de libras que permaneceu no palco durante todo o evento, promovendo acessibilidade. Para a divulgação do Prêmio foram produzidos 30 releases que gerou 354 notícias em veículos de comunicação nacionais e internacionais. O evento em suas diversas fases teve como valoração de mídia o valor de aproximadamente R$ 2,7 milhões.

Sobre o Prêmio Aberje

O Prêmio Aberje é o mais importante prêmio setorial pelos diretores de comunicação das principais empresas do país, o Prêmio Aberje reconhece as organizações e os profissionais que se destacam na área da comunicação empresarial brasileira. Desde que foi criado em 1967, o Prêmio Aberje vem acompanhando as mudanças do setor e hoje, por meio da apresentação de cases inspiradores e do compartilhamento de experiências, ajudar a promover melhores práticas da comunicação empresarial em todo o Brasil.

Publicado em Notícias

Neste mês, os organizadores do prêmio anunciarão os 10 finalistas, que permanecerão na disputa para conquistar US$ 1 milhão

O professor Rubens Ferronato, da cidade de Araruna, no Paraná, está entre os 50 finalistas do “Global Teacher Prize 2018”, premiação considerada o “Oscar dos Professores”. Ferronato é o criador e desenvolvedor da tecnologia social “Multiplano” – método usado para ensinar matemática a alunos com deficiência visual e também aos que enxergam, sem que estes necessariamente conheçam a escrita em Braille. A metodologia que é reaplicada em mais de 200 escolas do país foi vencedora do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social em 2003, na Categoria Educação. Como premiação naquele ano, a inciativa foi registrada em vídeo documentário, além de receber R$ 50 mil, para investimento no aperfeiçoamento e na expansão.

“O Prêmio Fundação Banco do Brasil nos deu a oportunidade de chegar onde estamos. Tornou-nos conhecidos e foi a alavanca que nos deu empolgação e motivação para continuar o nosso trabalho; que nos fez assumir um compromisso diante a sociedade de continuar lutando. Eu diria que só chegamos nesse nível, de estar entre os 50 de um prêmio considerado “Prêmio Nobel da Educação”, por ter sido antes reconhecido pelo Prêmio da Fundação Banco do Brasil.”, declarou o professor.

Mesmo com os reconhecimentos, o professor Rubens busca ampliar o alcance da iniciativa . “Desejo produzir o Multiplano nas doze línguas mais faladas no mundo e, ainda, levar a tecnologia para 30 países em 10 anos”, reflete.
O “Global Teacher Prize” foi criado para reconhecer o trabalho de professores que tenham dado uma contribuição notável ao ensino em suas escolas. A ideia é valorizar a contribuição fundamental dos mestres no desenvolvimento da sociedade atual.

Competição acirrada
Nesta edição, mais de 40 mil professores de mais de 170 países se inscreveram. Rubens Ferronato compete com outro professor brasileiro: Diego Mahfouz Faria Lima, da cidade de Rio Preto (SP). Neste mês de janeiro, os organizadores do prêmio anunciarão os 10 finalistas, que permanecerão na disputa para conquistar US$ 1 milhão. O vencedor será anunciado em 18 de março em uma cerimônia em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

A tecnologia social Multiplano está presente no Banco de Tecnologias Sociais (BTS) - uma base de dados online que reúne aproximadamente mil metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras, aptas e disponíveis para reaplicação. Dessas, 340 são do tema Educação.

A divulgação deste assunto contempla um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

   010ods 100x100      

Publicado em Notícias