Segunda, 01 Outubro 2018 14:08

Banco comunitário fortalece economia local

Escrito por Kelly Quirino
Avalie este item
(1 Votar)

Portal   união sampaio
Com crédito acessível, juros baixos e moeda social,  iniciativa também estimula o protagonismo de mulheres

A assistente social Cláudia Souza precisava de dinheiro para pagar a reforma de sua casa, onde queria voltar a morar após ter emprestado o imóvel ao filho por um período. A casa estava muito deteriorada: manchas no chão, paredes com infiltração, vazamentos. O problema é que ela não tinha capital para arcar com as despesas da reforma. Foi então que se lembrou do Banco Comunitárioi União Sampaio, que empresta dinheiro para mulheres em situação de vulnerabilidade social, desde 2009. “Eu faço trabalho com mulheres negras e um dia quando fui fazer estágio no CDCM - Centro de Defesa e Convivência da Mulher – conheci o trabalho do Banco União”. Ela conseguiu o crédito no valor que precisava: R$ 7 mil. Em um mês, ela e o neto de 5 anos retornaram a morar no imóvel e o empréstimo foi quitado em 15 parcelas de R$ 500.

O Banco Comunitário União, localizado no bairro de Campo Limpo, zona sul de São Paulo, foi criado pela União Popular de Mulheres com o objetivo de fomentar e fortalecer a organização da comunidade e o desenvolvimento local, com foco na inclusão financeira e bancária.  A vice-presidente da entidade, Norina Nunes, esclarece que o ponta pé inicial para a fundação do banco foi a parceria com entidades, para formar capital de giro e realizar os primeiros empréstimos. “Contamos com a ajuda de parceiros para termos capital e fazer girar o banco, mas naquela época, houve muita desconfiança sobre o sucesso deste projeto”.

O clima de incerteza apareceu porque, junto com a criação do banco, foi lançada a moeda social para desenvolver o crédito na comunidade, porém os comerciantes não acreditavam nesta proposta. “Fizemos campanha junto à comunidade, assembleia com os associados no momento da implantação da moeda, porque os comerciantes do bairro tinham resistência. O trabalho de esclarecimento e orientação fortaleceu a economia local” conta entusiasmada Norina.

A criação da moeda social, junto com um sistema de análise de crédito feito pela própria comunidade, permitiu à muitas pessoas terem acesso ao financiamento que promoveu o desenvolvimento e a autoconfiança, principalmente das mulheres. O sucesso da iniciativa possibilitou que Banco União Sampaio fosse certificado como tecnologia social, sendo  finalista do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017. Norina afirma que, mesmo sem levar o troféu, a certificação deu  visibilidade ao empreendimento. 

O que é um banco comunitário

Um banco comunitário se diferencia de um banco comercial porque os serviços financeiros e bancários são geridos pela comunidade, fazendo com que estes serviços, além de mais acessíveis, sejam um instrumento de organização e estímulo ao desenvolvimento local. Como o estímulo ao consumo local é o foco deste tipo de iniciativa, é comum a criação de moedas sociais para circularem nestes espaços. 

Os créditos em consumo são concedidos em moeda social, sem juros, de forma a propiciar uma sinergia entre os créditos produtivos concedidos e os créditos de consumo. A gestão do banco é feita por uma associação local conjuntamente com a comunidade, por meio da criação de um conselho gestor e da realização de fóruns periódicos. Os trabalhadores são integrantes da própria comunidade ou vivem na localidade, o que gera outra forma de atendimento, mais humana e acolhedora, além de oportunidade de trabalho para moradores da região. 

 Portal   BOX moeda sampaio

A iniciativa do Banco Comunitário União Sampaio atende ao ODS 9, no item 3, que estimula o acesso ao crédito acessível para integração de cadeias de valor e mercado, principalmente em países em desenvolvimento.

Box ods 9

 

 

Ler 2385 vezes Última modificação em Quarta, 21 Novembro 2018 14:08

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.