Acordo deverá beneficiar municípios de várias regiões. Além de promover a alfabetização plena, os projetos também buscam enfrentar importantes desafios nacionais, como dificuldades na gestão de políticas públicas de alfabetização pelas secretarias de ensino e alta taxa de distorção idade-série (Crédito da foto: Sandro Damasceno)

O Instituto Ayrton Senna e a Fundação Banco do Brasil assinaram hoje (22), uma parceria com foco na alfabetização plena de milhares de crianças brasileiras. Dessa forma, além de garantir que os alunos possam ler, escrever e contar adequadamente, os projetos também buscarão desenvolver competências como colaboração, curiosidade e autoconfiança, conhecidas como socioemocionais e com grande influência no sucesso escolar e futuro desses estudantes, garantindo-lhes o desenvolvimento integral. O acordo irá beneficiar cidades de dez estados, de quatro regiões brasileiras, por meio da formação de cerca de dois mil educadores que atuam nas redes públicas municipais e que poderão impactar quase 300 mil crianças.

Para cumprir o objetivo da alfabetização plena, o Instituto Ayrton Senna, com o apoio da Fundação BB, levará às secretarias de educação diversos de seus projetos educacionais (listados abaixo).

Além de contribuir para o aumento da proficiência escolar por meio de metodologias próprias, os programas também buscarão reduzir outros dois importantes desafios nacionais: as dificuldades de gestão das políticas públicas de alfabetização pelas secretarias de ensino e a alta taxa de distorção idade-série (alunos com mais de dois anos de atraso escolar).

Segundo dados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), 55% das crianças brasileiras ao final do terceiro ano do Ensino Fundamental, com oito anos de idade ou mais, não sabem ler ou contar adequadamente. A maior causa da manutenção dessa triste realidade encontra-se na ineficácia dos processos de alfabetização.

Para a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, é preciso criar oportunidades em larga escala a e não para exceções. “Nosso intuito é oferecer todas as condições para que as crianças tenham melhores oportunidades. Somos um time que junta forças para ajudar as crianças a vencerem a corrida da vida. Precisamos construir um país para todos e não para poucos”, defendeu. Segundo Viviane, a falta de oportunidades como educação compromete o futuro das crianças e interfere negativamente no entusiasmo para sua formação como cidadão autônomo e protagonista no mundo.

No último levantamento feito pelo Instituto Ayrton Senna, de 2017, 77% dos alunos participantes dos projetos educacionais da organização recuperaram a defasagem escolar; 79% dos estudantes não alfabetizados terminaram o ano adequadamente alfabetizados; enquanto que 80% das crianças com dificuldade de leitura e escrita finalizaram o ano com aprendizado adequado.

O presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, reforçou que o banco também tem como propósito cuidar do que é valioso para as pessoas. "Queremos valorizar vidas para transformar realidades e não há nada mais transformador do que a educação. Nossa parceria é firmada pelos princípios que nos une", destacou.

Representando o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, o vice-presidente de Gestão de Pessoas, Suprimento e Operações do banco, Antônio Gustavo Matos do Vale, reforçou a parceria entre o Instituto Ayrton Senna e a Fundação BB. "O Banco do Brasil acredita que as instituições não são apenas comerciais e bancárias que visam lucros, mas que também observam o que pode ser feito para melhorar a comunidade que os cercam. Se não tivermos noção que o conhecimento move esse mundo não vamos chegar a lugar algum", concluiu. O encontro também contou com a presença do vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, João Pinto Rabelo, além do diretor de Desenvolvimento Global do Instituto Ayrton Senna, Emilio Munaro.

Localidades atendidas pelo acordo:

Manaus (AM)

Santarém (PA)

Fortaleza (CE)

Salvador (BA)

Tocantins - (TO)

Juazeiro (BA)

Ribeirão Pires (SP)

Tatuí (SP)

São Vicente (SP)

Teresina (PI)

Feira de Santana (BA)

Maceió (AL)

Porto Velho (RO)

Águas Mornas (SC)

Alfredo Wagner (SC)

Angelina (SC)

Anitápolis (SC)

Antônio Carlos (SC)

Biguaçu (SC)

Canelinha (SC)

Florianópolis (SC)

Garopaba (SC)

Major Gercino (SC)

Nova Trento (SC)

Palhoça (SC)

Paulo Lopes (SC)

Rancho Queimado (SC)

Santo Amaro da Imperatriz (SC)

São Bonifácio (SC)

São João Batista (SC)

São José (SC)

São Pedro de Alcântara (SC)

Tijucas (SC)

 

Soluções educacionais do Instituto Ayrton Senna:

box Ayrton

 

 

 

Published in Notícias

Participantes ganham títulos em práticas marciais e levam aprendizados para a vida adulta

A prática esportiva aliada à educação é um dos métodos usados pelo Programa AABB Comunidade para trabalhar autoestima, disciplina, capacidade de superação, responsabilidade, sentimento de cidadania e sociabilidade dos educandos. O esporte tem trazido benefícios às crianças e adolescentes que vão além do bem-estar físico. As AABBs de Itanhandu (MG) e Picos (PI) apresentam alguns casos de sucesso.

Modalidades oferecidas no programa, como karatê, Jiu-jitsu e judô, têm despertado grande interesse e revelado talentos em competições municipais, estaduais e nacionais. Um dos destaques é o campeão mineiro de judô na categoria sub21 Caíque Fernandes, representando o estado de Minas Gerais. Com diversos títulos na carreira, o esportista agora quer se dedicar na preparação de outras crianças a trilhar o mesmo caminho. No mês passado, ele se tornou professor do programa e hoje comanda uma turma com 60 atletas.

“Participei do AABB Comunidade entre os anos de 2001 a 2009. Iniciei no programa no mesmo dia que ele começou em Itanhandu. A experiência me possibilitou estudar, conhecer pessoas e construir valores sociais e culturais. Enquanto estive no projeto soube aproveitar todas as atividades - música, arte e esporte - que me fizeram conhecer outras propostas na vida. Logo, o judô foi um grande alvo para que eu me tornasse um faixa preta e agora um professor”, declarou Caique.

Na cidade de Picos (PI), as aulas de karatê tiveram início em 2000, mesma data do lançamento do AABB Comunidade na cidade. De acordo com a coordenadora pedagógica, Maria José Rodrigues, a prática foi incluída devido à motivação e ao entusiasmo dos educandos com os espaços oferecidos pelo clube. O karatê também foi escolhido por promover a disciplina e a socialização, além da possibilidade de preparar os educandos para se tornarem campeões.

E por falar em campeão, o ex-aluno João Paulo da Silva Sousa é um exemplo de garra e de força de vontade. O adolescente de apenas 15 anos já é um colecionador de títulos no karatê. Suas conquistas foram possíveis, graças à parceria com o técnico e educador social, Francisco Arcanjo de Oliveira.

“O esporte cooperativo veio para favorecer a prática de valores integrativos e coletivos, desenvolvendo a convivência grupal, proporcionando bem-estar e melhor qualidade de vida. O esporte também afasta nossos jovens do uso de drogas e traz benefícios consideráveis à saúde", disse Maria José.

Na relação dos títulos de João Paulo, destacam-se duas medalhas de ouro no Campeonato Panamaericano de Karatê Interestilos realizado na Argentina, em 2014; medalha de Prata no Campeonato Norte-Nordeste, campeão na categoria infanto juvenil,em Belém (PA), em 2015 e medalha de prata no Campeonato Norte-Nordeste de Karatê - Interestilo, em Feira de Santana (BA), em 2015.

30 anos de AABB Comunidade
O AABB Comunidade é uma tecnologia social que oferece complementação escolar para crianças e adolescentes da rede pública de ensino, com idades entre 6 e 18 anos incompletos. O Programa está completando 30 anos em 2017 - fruto de parceria entre a Fundação BB e a FENABB e realizado nas AABBs de todo o País. De 2007 a 2017, o investimento social da Fundação BB no projeto foi de R$ 172,6 milhões, com atendimento a 592 mil participantes de 478 municípios de todo país.

A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

03ods 100x100 04ods 100x100

Published in Notícias

Programa AABB Comunidade conta com apoio de pessoas das comunidades onde é realizado

Um dos elementos que contribui para o sucesso do Programa Integração AABB Comunidade é o trabalho voluntário. São centenas de pessoas que se dedicam no suporte às atividades oferecidas aos estudantes da rede pública de ensino, com idades entre 6 e 18 anos incompletos, no contraturno escolar.

O AABB Comunidade proporciona aulas de esportes e cultura, assim como noções de cidadania, reforço alimentar e acompanhamento médico-odontológico. Os educadores participantes pertencem às comunidades locais.

Em Erechim (RS), o programa está presente desde sua criação, em 1987. Na cidade, chama atenção o trabalho voluntário da funcionária aposentada do Banco do Brasil, Marília Salete Dal Zot Dutra, junto aos alunos da comunidade Jaguaretê, a 25 quilômetros do centro. Uma vez por semana, ela ministra aulas de italiano para 46 crianças.

Quando se afastou das atividades bancárias, em 1995, Marília conta que sentiu vontade de aprender um novo idioma e a escolha foi pelo italiano. Depois disso, tornou-se professora por alguns anos em uma escola particular de línguas, mas ainda faltava atender outro desejo, fazer um trabalho voluntário que pudesse passar um pouco do conhecimento adquirido. No segundo semestre de 2016, assumiu o compromisso de lecionar no AABB Comunidade.

“Tudo que a gente puder fazer para que essas crianças cresçam com mais instrução é bom. A maioria das crianças daqui são descendentes de italiano, polonês e alemão, e as de Jaguaretê têm avós que falam o italiano. Sou a favor de que devemos repassar todo conhecimento que temos para fazer a diferença na vida dos outros. Além do mais, nem todas as pessoas que se aposentam exercem atividades. Sou privilegiada!. Ao chegar, recebo das crianças um ‘Buongiorno’ e meu coração se enche de alegria”, declara.

Em Araxá (MG), as aulas de canto ministradas por Gislaine Danésio Lima, de 16 anos, dá o tom da solidariedade e desperta na garotada a musicalidade. Gigi, como é carinhosamente chamada, compartilha um pouco do seu conhecimento em canto nos ensaios do coral, composto por 40 integrantes, todas as quintas-feiras, no período da manhã.

“Sempre gostei de música e acho que já nasci cantando. Canto na igreja que frequento e sonho em seguir carreira na música. Sou feliz por ajudar essas crianças que precisam tanto. Esse trabalho também me ajuda a crescer como pessoa, além de possibilitar fazer o que mais amo, que é cantar”.

Já em Palmeira das Missões, 370 quilômetros de Porto Alegre (RS), o comprometimento e a dedicação são qualidades que podem ser conferidas nas aulas de capoeira do professor Leandro Hedlund de Borba. Convidado a trabalhar com os educandos, Leandro conta que não pensou duas vezes antes de aceitar o desafio.

“Sou apaixonado pelo AABB Comunidade desde quando começou na cidade, em 2001, que eu frequentava para participar das atividades. Tenho pelo programa profunda gratidão pelo que fez por mim no passado e por tudo que está fazendo agora pelos meus dois filhos, um de 13 anos e outro de 10 anos, que são deficientes e recebem toda a atenção”, disse.

Programa Integração
O AABB Comunidade propõe a integração entre escola, família e comunidade, por meio de um plano pedagógico que prevê a ampliação da cidadania e tem na educação um fator de transformação social. De 2006 a 2017, o investimento social da Fundação BB no projeto foi de R$ 171,1 milhões, com atendimento a 497 mil participantes de 473 municípios de todo país.

Assista ao vídeo do Programa Integração AABB Comunidade

 A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

03ods 100x100 04ods 100x100

Published in Notícias

Inovação, Empreendedorismo e Inclusão Socioprodutiva para a Economia Digital serão abordados na proposta experimental

Vinte cidades brasileiras vão receber inicialmente o projeto piloto de Inserção Juvenil na Economia Digital que irá formar crianças e jovens do programa AABB Comunidade para o mercado de trabalho. O programa será conduzido pelo Instituto Cesar – Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, sediado em Pernambuco.

O projeto piloto irá oferecer cursos voltados para a inserção socioprodutiva na economia digital. Os alunos utilizarão materiais interativos em plataforma online educativa, de acordo com a faixa etária. Os educadores e coordenadores das AABBs também receberão treinamento.

A assinatura do convênio ocorreu durante a abertura do 3º Encontro Nacional de AABBs, realizado na última quinta-feira, 12, em Brasília. Na ocasião, o presidente da Fundação BB, Asclepius Soares, reforçou o compromisso da Fundação BB na transformação social na vida dos participantes. “A gente está muito feliz com esta parceria, pois sabemos que este programa irá levar mais dignidade e conhecimento para essas crianças. O AABB Comunidade representa acolhimento. Lá, as crianças e adolescentes recebem educação, alimentação, atividades lúdicas e agora eles vão sair de lá muito mais preparados para alcançar seus sonhos e profissões”, disse.

Já o diretor de Estratégia e Organização do Banco do Brasil, Carlos Netto, destacou que o convênio reforça o papel do AABB Comunidade. “Este programa tem condições de transformar a vida dessas crianças para o mundo digital, cada vez mais presente nas nossas vidas. É muito gratificante saber que estamos renovando ao projetar um Brasil melhor”, disse.

O programa
Segundo o diretor do Instituto Cesar, Felipe Santana, o programa terá dois anos e será dividido em três etapas. A primeira é para realizar um estudo exploratório, para que seja possível tornar o modelo disseminado no Brasil todo. "Nós precisamos entender as diferenças sociais, culturais, as diferenças das necessidades dos arranjos produtivos locais onde cada AABB está inserida”, explicou. Nesta etapa, os técnicos do Cesar vão conversar com educadores, educandos, dirigentes, prefeituras e com a sociedade. Depois disso, será feita uma análise para produção do material pedagógico digital e não digital, chamado Programa Pedagógico Executivo.                                                       

Para colocar em prática, no primeiro ano, este modelo vai ser concentrado na região Nordeste, com a formação de educadores (presencial e online). Em seguida será feita a replicação deste aprendizado dos educadores com os educandos, com acompanhamento presencial e online com mentores do Cesar. Ao final, será elaborado um exercício de inserção socioprodutiva com os jovens, no contexto de arranjos produtivos locais. Terminado o primeiro ano, será feita uma avaliação para possíveis ajustes para o modelo ser colocado em prática na região Sul, seguindo o mesmo roteiro de formação de educadores, educandos e exercício de inserção socioprodutiva.                                                                                                                                                                                                                                                             

Instituto Cesar
O Centro de Inovação é baseado em tecnologia da comunicação e informação. Tem 22 anos de existência e 550 colaboradores em Recife, com filiais em Manaus, Sorocaba e Curitiba. Sua missão é identificar, potencializar, e concretizar oportunidades de melhoria nas empresas e na vida das pessoas.

Conheças as 20 primeiras cidades que irão receber o projeto Cesar:
- Arapiraca (AL)
- Brumado (BA)
- Capinzal (SC)
- Coronel Vivida (PR)
- Currais Novos (RN)
- Garanhuns (PE)
- Ijuí (RS)
- Marau (RS)
- Nonoai (RS)
- Patos (PB)
- Porto da Folha (SE)
- Quixeramobim (CE)
- Tauá (CE)
- Salvador (BA)
- Santa Bárbara do Sul (RS)
- São Miguel do Oeste (SC)
- São Tepé (RS)
- Tapejara (RS)
- Tenente Portela (RS)
- Timbaúba (PE)

30 anos de AABB Comunidade
O AABB Comunidade é uma tecnologia social que oferece complementação escolar para crianças e adolescentes da rede pública de ensino, com idades entre 6 e 18 anos incompletos. O Programa, que é fruto de parceria entre a Fundação BB e a FENABB, é realizado nas AABBs de todo o País. De 2007 a 2017, o investimento social da Fundação BB no projeto foi de R$ 172,6 milhões, com atendimento a 592 mil participantes de 478 municípios de todo país.

Assista ao vídeo sobre o programa, clique aqui

 

A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

04ods 100x100 010ods 100x100

Published in Notícias
Tuesday, 19 September 2017 08:10

AABB Comunidade chega aos 30 anos de atuação

O programa, o mais antigo em atividade da Fundação BB, proporciona ambiente acolhedor e práticas esportivas e culturais no contraturno escolar

"Antes eu era muito tímida, não praticava esportes, não brincava com meus colegas e não tinha muitos amigos. Depois do AABB Comunidade, tudo começou a mudar." As palavras da estudante Gabriella Marques,15 anos, da cidade de Russas (CE), resume a percepção das crianças e adolescentes participantes do Programa Integração AABB Comunidade, que completa 30 anos nesta terça, 19 de setembro.

A integração com a família e a comunidade, a prática de esportes, linguagens artísticas, atividades lúdicas e aprendizados em consciência ambiental e cidadania promovem o aumento de autoestima e o desenvolvimento global dos educandos de baixa renda, provenientes da rede pública de ensino. Somente nos últimos dez anos, foram atendidos cerca de 592 mil estudantes, de 6 a 18 anos incompletos.

As diversas atividades são oferecidas no contraturno escolar, nas dependências das Associações Atléticas Banco do Brasil (AABB) de norte a sul do país. Entre 2007 e 2017, a iniciativa abrangeu cerca de 470 municípios. O programa é desenvolvido em parceria entre a Fundação Banco do Brasil, a Federação Nacional das Associações Atléticas Banco do Brasil (Fenabb) e instituições locais.

Os depoimentos das crianças e adolescentes expressam a importância da experiência adquirida. "Nesse lugar não há nenhum tipo de diferença, todos são tratados com carinho e a mesma atenção, todos se ajudam no que for preciso. As brincadeiras, a atenção e a coisas novas que me foram apresentadas me encantaram e fui aprendendo valores de vida para me ajudar a enfrentar o mundo lá fora", afirma Luísa Amorim, 15 anos, de Manhuaçu (MG).

"É um ensino diferente da escola, que pode nos ajudar a ter uma formação no futuro. Quando eu for adulto, quero ser um cidadão responsável por meus atos e acredito que os educadores do programa podem me ajudar nisso", revela Braiam Marcelino da Rosa, de 13 anos, de Sapiranga (RS).

"Só em pensar o que eu era e o que sou hoje, um cidadão de bem, campeão na vida, fico imensamente agradecido", resume Erick Gomes, de 17 anos, de Limoeiro (PE).

O programa iniciou as atividades em 19 de setembro de 1987, na cidade de Quixadá (CE). No mesmo ano, foi implementado no mês de outubro em Erechim (RS), dia 24, e Quixeramobim (CE) 31. Em 12 de dezembro, foi a vez de Cristalina (GO).

Para 2017, o trabalho educacional pretende atender aproximadamente 50 mil participantes, em 300 municípios, englobando temas como educação ambiental, saúde e higiene, esporte e linguagens artísticas, possibilitando a construção de conhecimentos e o acesso à cidadania.

A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

04ods 100x100 010ods 100x100

 

 

Published in Notícias

O programa oferece atividades esportivas e culturais para crianças e adolescentes

A Fundação Banco do Brasil, a Casa Azul Felipe Augusto, a Federação Nacional das AABBs (FENABB) e a Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) lançaram oficialmente nessa quinta-feira (25), o Programa Integração AABB Comunidade – unidade Brasília.

Na capital federal, serão atendidas 150 crianças e adolescentes, de famílias de baixa renda, com idades entre 6 e 18 anos incompletos de São Sebastião e da Vila Telebrasília. Os estudantes terão atividades socioeducativas, culturais, artísticas, esportivas e de saúde nos turnos contrários do horário escolar.

Os educandos foram selecionados pelo CRAS – Centros de Referência e Assistência Social do DF, atendendo os quesitos de vulnerabilidade, risco social e portadores de necessidades especiais.
Serão oferecidas aulas de natação, futsal e ginástica rítmica, percussão, orquestra e flauta, hip-hop e balé, informática, noções de administração, literatura e formação cidadã. O projeto conta, ainda, com equipe multidisciplinar composta por pedagogos, assistentes sociais, psicólogos e educadores. Os participantes também terão reforço alimentar, acompanhamento médico-odontológico e transporte.

Durante a solenidade de lançamento, o presidente da Fundação BB destacou alguns ingredientes para sucesso e longevidade do programa. “São 30 anos de AABB Comunidade, o programa mais antigo que nós temos na Fundação. E por que ele persiste e chega aos 30 anos rejuvenescido? É graças ao trabalho, dedicação, amor e o envolvimento de todos os funcionários, envolvimento do Banco do Brasil com as causas sociais e as parcerias sólidas que sempre tivemos”, disse.

Para Deise Lourenço, presidente da Casa Azul, o programa é a oportunidade de fazer um pouco mais pelas crianças do Distrito Federal. “Vamos dar continuidade ao trabalho que a Casa Azul já vem fazendo há 28 anos em Samambaia e Riacho Fundo II. Espero trazer mais alento para as famílias com o trabalho que a gente executa.”

“Estamos completando 30 anos de AABB Comunidades e inúmeros exemplos de sucessos por todo Brasil e aqui em Brasília não será diferente”, declarou Renê Nunes dos Santos, presidente da Fenabb.

A Dienie da Silva Mendes é mãe de seis filhos, dos quais cinco estão participando do programa. Apenas a caçula que tem dois anos ainda não está. Ela destacou sua alegria pela participação das crianças no projeto. “Meus filhos não têm costume de ficar na rua, soltos, mas saber que eles vão praticar um esporte e ter acompanhamento me deixa muito feliz”, disse.

Participaram também da solenidade de lançamento, José Eduardo Pereira Filho, vice-presidente de Governo do Banco do Brasil; Nelson Vieira Filho, presidente da AABB Brasília; Antônio Gutemberg Gomes, secretário-geral da secretaria de Estado de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do Distrito Federal; Sheila Santos, gestora do Centro de Referência de Assistência Social; Rogério Biruel, diretor de desenvolvimento social da Fundação BB; Patrícia Lustosa, diretora executiva da Fundação BB; Fernando Pelisser, superintendente de Varejo e Governo do DF; Marlene Matos, secretária adjunta de desenvolvimento do Sedestmidh.

Durante o evento, a orquestra Casa Azul Musicando no Cerrado fez uma apresentação do Hino Nacional Brasileiro e de músicas populares. O conjunto é formado por crianças e adolescentes atendidos nas unidades da Casa Azul. 

Programa Integração
O AABB Comunidade propõe a integração entre escola, família e comunidade, por meio de um plano pedagógico que prevê a ampliação da cidadania e tem na educação um fator de transformação social. De 2006 a 2017, o investimento social da Fundação BB no projeto foi de R$ 171,1 milhões, com atendimento a 497 mil participantes de 473 municípios de todo país.

AABB fitaaabb criancasIMG 7777

 
 A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

03ods 100x100 04ods 100x100

 

 
Published in Notícias

Programa Integração AABB Comunidade tem parceria renovada com a prefeitura, nesta quinta (17)

Cerca de cem alunos da rede pública de Teresina (PI) farão atividades de reforço escolar, esportivas, socioeducativas e de cidadania durante o contraturno, nas dependências da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), na zona leste de Teresina. As crianças e adolescentes, com idades entre 6 e 18 anos incompletos, serão atendidos pelo Programa Integração AABB Comunidade em 2017, uma parceria entre a Fundação Banco do Brasil, a Federação Nacional das Associações Atléticas Banco do Brasil (Fenabb) e a prefeitura da cidade.

A renovação da parceria iniciada no ano passado aconteceeu em cerimônia, nesta quinta-feira (17), às 8h, na AABB. O investimento total da Fundação BB, nos dois anos, é de R$ 104,3 mil.

Em 2016, o projeto ofereceu aulas gratuitas de natação, judô, pintura, entre outras. Em 2017, os educandos também vão participar de palestras, oficinas e programação artística e cultural. Todas as despesas são custeadas pelo convênio, incluindo transporte, capacitação dos profissionais, refeições, uniforme e equipamentos.

A gerente de Assistência ao Educando da Secretaria Municipal de Educação e Cultura,  Madalena Leal, explica que os professores notaram melhora no desempenho escolar dos participantes. "As atividades extras são estímulos para eles, trabalhando corpo e mente". Com a nova parceria, novos alunos poderão participar, segundo a secretária.

No Piauí

O Programa Integração AABB Comunidade é uma tecnologia social em educação que oferece complementação escolar para alunos da rede pública de ensino. Os participantes desenvolvem atividades lúdicas, nas AABBs de todo o país. O trabalho educacional engloba temas como educação ambiental, saúde e higiene, esporte e linguagens artísticas, possibilitando a construção de conhecimentos e o acesso à cidadania. No estado do Piauí, nos últimos dez anos, o programa foi realizado em 17 municípios, envolvendo 12,3 mil participantes, com investimento social de R$ 4,5 milhões.

A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

03ods 100x100 04ods 100x100

Published in Notícias

Estudantes atendidos pelo Programa poderão inscrever trabalhos sobre o tema até o dia 11 de setembro

Integrando as ações do 30º aniversário do AABB Comunidade, a Fundação Banco do Brasil e a Federação Nacional das AABBs (Fenabb) realizam o Concurso Agenda AABB Comunidade 2018 para alunos da rede pública de ensino, participantes do programa. Serão selecionadas produções originais e inéditas em desenho, fotografia, vídeo e história em quadrinhos (HQs) para compor a agenda anual de 2018 e ações comemorativas da nona edição do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social.

Os trabalhos escolhidos deverão ser relacionados à Tecnologia Social nas áreas de Alimentação, Educação, Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Saúde. As melhores produções serão premiadas com troféu, medalha, tablet e viagem para participar da cerimônia do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social em Brasília.

Para participar, o estudante deve estar vinculado à uma Associação Atlética do Banco do Brasil com convênio vigente do Programa Integração AABB Comunidade. Cada unidade poderá inscrever até três desenhos, três fotos, três HQs e um vídeo. Para facilitar a compreensão do tema e atendimento aos requisitos da seleção, os coordenadores pedagógicos e educadores irão ministrar estudos e debates para os alunos.

“Queremos despertar nesses jovens à criatividade aliada ao senso de responsabilidade social por meio das tecnologias sociais já certificadas pela FBB, para que eles se desenvolvam conhecendo seus direitos e deveres como cidadãos, com a consciência de que podem ser agentes de transformação dentro da sua comunidade”, declarou Asclepius Soares, presidente da Fundação BB.

As inscrições estão abertas até 11 de setembro e deverão ser encaminhadas à Fenabb, conforme orientações do regulamento.

Mais informações nos telefones 0800.726.5661; 0800.704.2106 – opção 7.

Encontre os anexos do regulamento acessando o site:http://www.fenabb.org.br/socioeducativos/

A divulgação deste prêmio contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

 04ods 100x100 010ods 100x100

Published in Notícias
Wednesday, 29 June 2016 17:59

Identidade Visual

 

 

Manual da Marca FBB 2018 A marca da Fundação Banco do Brasil é baseada na marca do Banco do Brasil, seu instituidor. Compõe-se do conjunto de símbolo, cores, nome e tipologia que atribui personalidade ao conglomerado BB.

As marcas de propriedade do conglomerado são registradas junto ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), em nome do Banco do Brasil. As marcas e patentes são protegidas pela Lei 9.279/96, que estabelece propriedade e uso exclusivo a seus donos. É fundamental respeitar os critérios de aplicação estabelecidos, mantendo características de unidade, legibilidade e destaque. A observação das regras é obrigatória quanto às cores, medidas,  proporções e demais orientações.

A Fundação BB e seus parceiros estão presentes com suas marcas na divulgação dos programas e projetos como forma de dar transparência à aplicação de investimento social e pelo compromisso com a prestação de contas à sociedade de seus significativos resultados.

Estes manuais têm como objetivo orientar a padronização dos materiais de divulgação indicativos de investimento social da Fundação Banco do Brasil e parceiros de forma a consolidar as marcas dos programas e projetos e difundi-los de maneira clara e objetiva, observando a legislação vigente, com a consequente simplificação para sua utilização pelas convenentes (entidades parceiras).

Não está autorizada a aplicação da marca da Fundação Banco do Brasil em rótulos de produtos para fins comerciais.

Para períodos eleitorais, deverão ser observadas as recomendações da Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

Faça aqui o download dos arquivos:

Marcas Fundação BB

Manual de Identidade Visual FBB 2018

Manual de Identidade Visual FBB 2018 - Projetos

Manual de Identidade Visual AABB Comunidade 2018

Marcas AABB Comunidade 2018

Modelos FBB Recursos Próprios

Modelos FBB Voluntariado

Modelos FBB BNDES

Modelos FBB BNDES Fundo Amazônia

Modelos FBB BNDES Fundo Amazônia e ECOFORTE

Modelos FBB BNDES ECOFORTE

Modelos FBB BNDES CATAFORTE

Modelos FBB BNDES TERRAFORTE

Published in Paginas Internas