Rede Xique Xique receberá recursos para produção de alimentos agroecológicos e reaplicação de tecnologias sociais

A Fundação Banco do Brasil, em parceria com a ONU Mulheres, vai apoiar a Associação de Comercialização Solidária Xique Xique que atua no comércio de produtos agroecológicos de mulheres produtoras rurais da região de Mossoró (RN). O projeto intitulado “Mulheres em Rede: fortalecendo a auto-organização, produção, comercialização e autonomia socioeconômica”, pretende contribuir para a mobilização, empoderamento e geração de renda das agricultoras rurais. A solenidade de assinatura do convênio vai ocorrer nesta quinta-feira (28), na cidade de Mossoró e contará com a presença de representantes da Fundação BB, ONU Mulheres, Secretário de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar do RN, Alexandre de Oliveira, além de autoridades e parceiros locais.

O aporte financeiro da Fundação BB será de R$ 750 mil e dará condições para a entidade construir a sede da associação, que irá funcionar como um espaço multiuso para capacitação, comercialização e o projeto também vai contemplar a construção de uma cozinha para beneficiamento e armazenamento de alimentos agroecológicos. Cerca de 300 agricultoras devem ser beneficiadas diretamente com esta iniciativa.

Adriano Cavalcanti, coordenador do projeto, acredita “que às ações propostas serão importantes para o fortalecimento dos empreendimentos de economia solidária”. O projeto, com duração de um ano, será desenvolvido em dez cidades: Mossoró, Governador Dix-Sept Rosado, Baraúna, Tibau, Grossos, Apodi, São Miguel, São Miguel do Gostoso, Messias Targino e Janduís.

Para Ana Carolina Querino, representante interina da ONU Mulheres Brasil, é emblemática a dotação da Fundação Banco do Brasil para a Associação de Comercialização Solidária Xique Xique às vésperas do Dia Internacional das Mulheres. “Empoderar trabalhadoras e mulheres rurais e investir recursos financeiros contribui para viabilizar projetos coletivos que gere autonomia econômica, com foco no desenvolvimento sustentável de comunidades”, destaca ao lembrar o compromisso entre a ONU Mulheres e FBB para o empoderamento econômico das mulheres. Segundo Querino, “ao longo do mês de março, a ONU Mulheres enviará mensagens para governos, empresas e sociedade de todo o mundo de que é preciso investir nas mulheres e construir soluções inteligentes, inovadoras com tecnologias sociais e digitais voltadas para o acesso das mulheres a serviços, proteção social e infraestrutura”.

O presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, destaca que o apoio às mulheres da Rede Xique Xique vai gerar renda e também contribui para o desenvolvimento da economia local destes municípios, o que gera transformação social. “Fortalecer a atuação das mulheres e a agroecologia traz inúmeros benefícios para as comunidades locais, como é o caso da Rede Xique Xique”, avalia Asclepius.

Reaplicação de Tecnologias Sociais

Além de produção de produtos agroecológicos, a rede de mulheres irá reaplicar tecnologias sociais. Para Francisca Eliane, coordenadora da Rede Xique Xique, o projeto vai proporcionar uma maior autonomia dos grupos de mulheres participantes, promovendo a inclusão social e geração de renda além de melhorar os indicadores socioeconômicos das produtoras rurais.

As ações do projeto também irão contemplar a implantação de tecnologias sociais de convivência com o semiárido como os Sistemas de Reuso de Água Cinza, Energia Solar e Banco de Sementes Crioulas. “O reuso de água nos permite gerir um destino sustentável, ao aproveitarmos a água cinza, onde após tratada, poderá ser utilizada nas frutas e hortaliças que garantem a comida em nossa mesa e ainda diminui o desperdício de água”, avalia Francisca.

 

Publicado em Notícias

Acordo deverá beneficiar municípios de várias regiões. Além de promover a alfabetização plena, os projetos também buscam enfrentar importantes desafios nacionais, como dificuldades na gestão de políticas públicas de alfabetização pelas secretarias de ensino e alta taxa de distorção idade-série (Crédito da foto: Sandro Damasceno)

O Instituto Ayrton Senna e a Fundação Banco do Brasil assinaram hoje (22), uma parceria com foco na alfabetização plena de milhares de crianças brasileiras. Dessa forma, além de garantir que os alunos possam ler, escrever e contar adequadamente, os projetos também buscarão desenvolver competências como colaboração, curiosidade e autoconfiança, conhecidas como socioemocionais e com grande influência no sucesso escolar e futuro desses estudantes, garantindo-lhes o desenvolvimento integral. O acordo irá beneficiar cidades de dez estados, de quatro regiões brasileiras, por meio da formação de cerca de dois mil educadores que atuam nas redes públicas municipais e que poderão impactar quase 300 mil crianças.

Para cumprir o objetivo da alfabetização plena, o Instituto Ayrton Senna, com o apoio da Fundação BB, levará às secretarias de educação diversos de seus projetos educacionais (listados abaixo).

Além de contribuir para o aumento da proficiência escolar por meio de metodologias próprias, os programas também buscarão reduzir outros dois importantes desafios nacionais: as dificuldades de gestão das políticas públicas de alfabetização pelas secretarias de ensino e a alta taxa de distorção idade-série (alunos com mais de dois anos de atraso escolar).

Segundo dados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), 55% das crianças brasileiras ao final do terceiro ano do Ensino Fundamental, com oito anos de idade ou mais, não sabem ler ou contar adequadamente. A maior causa da manutenção dessa triste realidade encontra-se na ineficácia dos processos de alfabetização.

Para a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, é preciso criar oportunidades em larga escala a e não para exceções. “Nosso intuito é oferecer todas as condições para que as crianças tenham melhores oportunidades. Somos um time que junta forças para ajudar as crianças a vencerem a corrida da vida. Precisamos construir um país para todos e não para poucos”, defendeu. Segundo Viviane, a falta de oportunidades como educação compromete o futuro das crianças e interfere negativamente no entusiasmo para sua formação como cidadão autônomo e protagonista no mundo.

No último levantamento feito pelo Instituto Ayrton Senna, de 2017, 77% dos alunos participantes dos projetos educacionais da organização recuperaram a defasagem escolar; 79% dos estudantes não alfabetizados terminaram o ano adequadamente alfabetizados; enquanto que 80% das crianças com dificuldade de leitura e escrita finalizaram o ano com aprendizado adequado.

O presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, reforçou que o banco também tem como propósito cuidar do que é valioso para as pessoas. "Queremos valorizar vidas para transformar realidades e não há nada mais transformador do que a educação. Nossa parceria é firmada pelos princípios que nos une", destacou.

Representando o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, o vice-presidente de Gestão de Pessoas, Suprimento e Operações do banco, Antônio Gustavo Matos do Vale, reforçou a parceria entre o Instituto Ayrton Senna e a Fundação BB. "O Banco do Brasil acredita que as instituições não são apenas comerciais e bancárias que visam lucros, mas que também observam o que pode ser feito para melhorar a comunidade que os cercam. Se não tivermos noção que o conhecimento move esse mundo não vamos chegar a lugar algum", concluiu. O encontro também contou com a presença do vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, João Pinto Rabelo, além do diretor de Desenvolvimento Global do Instituto Ayrton Senna, Emilio Munaro.

Localidades atendidas pelo acordo:

Manaus (AM)

Santarém (PA)

Fortaleza (CE)

Salvador (BA)

Tocantins - (TO)

Juazeiro (BA)

Ribeirão Pires (SP)

Tatuí (SP)

São Vicente (SP)

Teresina (PI)

Feira de Santana (BA)

Maceió (AL)

Porto Velho (RO)

Águas Mornas (SC)

Alfredo Wagner (SC)

Angelina (SC)

Anitápolis (SC)

Antônio Carlos (SC)

Biguaçu (SC)

Canelinha (SC)

Florianópolis (SC)

Garopaba (SC)

Major Gercino (SC)

Nova Trento (SC)

Palhoça (SC)

Paulo Lopes (SC)

Rancho Queimado (SC)

Santo Amaro da Imperatriz (SC)

São Bonifácio (SC)

São João Batista (SC)

São José (SC)

São Pedro de Alcântara (SC)

Tijucas (SC)

 

Soluções educacionais do Instituto Ayrton Senna:

box Ayrton

 

 

 

Publicado em Notícias

Músicos da Estrutural participam da programação junto a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional e do saxofonista americano Branford Marsalis

Música erudita e jazz juntos, com uma pegada de inclusão social. O projeto CCBB in Concert traz a Brasília o saxofonista estadunidense Branford Marsalis, que subirá ao palco acompanhado pela Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional, em única apresentação no dia 16 de junho, na área externa do CCBB Brasília.

Os concertos se iniciam a partir das 16h com os jovens instrumentistas do Instituto Reciclando Sons, uma iniciativa certificada como tecnologia social e premiada em 2015 no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, na categoria Juventude. Em atividade na Cidade Estrutural, o projeto tem como objetivo promover a inclusão social, por meio da música, de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social.

Em seguida, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional sobe ao palco, tocando obras de Bach, Villa-Lobos, John Williams (trilha sonora de Star Wars) e muito mais. Antes de iniciar o repertório de jazz, o saxofonista estadunidense apresenta algumas músicas em conjunto com a orquestra brasiliense.

No evento, haverá um área exclusiva com cadeiras em frente ao palco, cujo acesso é condicionado à doação de 1kg de alimento não perecível.

Sobre o saxofonista

Nascido em Nova Orleans e filho de pianista, Branford Marsalis começou a atividade na música ao tocar clarinete – o que abriu as portas para o saxofone, sua especialidade. O amor do jazz se intensificou ainda mais quando entrou na faculdade. Entre os trabalhos feitos pelo músico, está a participação em shows de Sting, vocalista da banda inglesa The Police. Ele também já participou de uma turnê em homenagem aos 50 anos da morte de Heitor Villa-Lobos, que passou pelos Estados Unidos com a Orquestra Philarmonica Brasileira, conduzida por Gil Jardim. Em 2010, fez a primeira participação na Orquestra Filarmônica de Nova Iorque, onde chegou a atuar como solista em uma série de concertos.

Programação:

- 16h - Reciclando Sons;

- 18h - Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional;

- 20h - Branford Marsalis;

Publicado em Notícias

Prêmio Viva Voluntário vai reconhecer as melhores iniciativas que contribuam para o alcance dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Estão abertas até 29 de junho as inscrições para o Prêmio Viva Voluntário, premiação inédita que reconhecerá iniciativas de transformação social promovidas por voluntários que contribuem para o alcance das metas estabelecidas pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização Nacional das Nações Unidas (ONU).

Serão premiadas as iniciativas inscritas em quatro categorias: Organizações da Sociedade Civil, Setor Público, Empresarial e Líder Voluntário. Cada categoria terá dois projetos vencedores. No formulário, deverá constar sobre qual Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a proposta se enquadra.

A Fundação Banco do Brasil (FBB) apoiará com R$ 50 mil as iniciativas vencedoras nas categorias Voluntariado nas Organizações da Sociedade Civil, Voluntariado no Setor Público e Líder Voluntário.

Podem participar do Prêmio entidades públicas ou privadas, sem fins lucrativos, que tenham finalidades sociais, culturais, educacionais, científicos, esportivos, ambientais ou de assistência à pessoa. As inscrições devem ser realizadas por meio de formulário eletrônico no site planalto.gov.br/vivavoluntario.

Programa Nacional de Voluntariado

Para incentivar e valorizar o trabalho voluntário no Brasil, o governo federal criou em 2017 o Programa Nacional de Voluntariado – Viva Voluntário com o propósito de reunir esforços do setor público, do terceiro setor e da iniciativa privada para articular pessoas em ações transformadoras da sociedade.

Existem no Brasil inúmeras iniciativas que contam com voluntários que atuam pelo desenvolvimento de suas comunidades. Muitas entidades carecem de organização e de estrutura adequadas que permitam a sustentabilidade e a continuidade dos projetos. O Viva Voluntário busca apoiar o desenvolvimento de uma cultura do voluntariado e de educação para a cidadania que fortaleça as organizações da sociedade civil e promova uma participação ativa da sociedade.

Calendário da Premiação:

Inscrições: 28/05/2018 a 29/06/2018

Etapas Eliminatória e Classificatória: 02/07/2018 a 31/07/2018

Publicação do Resultado: 10/08/2018

Cerimônia de Premiação em Brasília segundo semestre de 2018

 Passo   a   passo (inscrição)

A divulgação deste prêmio contempla todos os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

01ods 100x100 02ods 100x100 03ods 100x100 04ods 100x100 05ods 100x100 06 ods100x100 07ods 100x100 08ods 100x100 09ods 100x100 010ods 100x100 011 ods 100x100 012ods 100x100 013ods 100x100 014ods 100x100 015ods 100x100 016ods 100x100 017ods 100x100

Publicado em Notícias

Cáritas Brasileira vai revitalizar feiras livres e estimular participação social em 22 municípios na Bahia, Maranhão, Paraíba e Piauí

Nos municípios interioranos, as feiras livres são os principais pontos comerciais e locais por onde circula boa parte dos moradores. Para fortalecer as feiras livres como espaços socioculturais de convivência, a Cáritas Brasileira vai realizar o projeto "Reconstruindo os espaços populares de socialização nos municípios a partir da implantação de tecnologias sociais".

A proposta é revitalizar os espaços das feiras com diagnóstico, mobilização social e educação financeira. As ações também preveem a revitalização da infraestrutura utilizada pelos feirantes e a gestão de resíduos sólidos, para reduzir a quantidade produzida e organizar de forma adequada o que for gerado. As capacitações em educação financeira envolverão, além dos feirantes, professores e alunos das escolas públicas locais.

Para incentivar o envolvimento dos participantes, será reaplicada a tecnologia social Jogo Oásis, que terá a finalidade de mobilizar 660 agricultores familiares, feirantes e catadores de materiais recicláveis. A iniciativa tem o apoio da Fundação Banco do Brasil, com investimento social de R$ 2,2 milhões, e será implantada em 22 municípios de quatro estados do Nordeste: Bahia, Maranhão, Paraíba e Piauí. O convênio entre a Cáritas Brasileira e a Fundação BB foi assinado na última sexta-feira, 18, em Brasília.

Jaime Conrado, assessor de projetos da Cáritas Brasileira, comentou sobre o Jogo Oásis, metodologia vencedora do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social em 2013, na categoria Gestores Públicos, e que estimula a criatividade na solução de problemas da comunidade, a cooperação e o empreendedorismo social.“Ela ajuda os grupos a se fortalecerem com a reivindicação de direitos e o acesso a políticas públicas para que eles possam exercer a cidadania e melhorar de vida.”

Conrado relatou que a mobilização envolve prefeitos, comerciantes locais, gestores das dependências bancárias, organizações de feirantes e catadores. “Nós vamos fazer um diagnósticos nos 22 municípios para a estruturação das feiras populares. Queremos saber o que é vendido, se os comerciantes utilizam tecnologia, por que eles a utilizam ou por que não a utilizam”, comentou.

A divulgação deste projeto está relacionada aos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS:

01ods 100x100 02ods 100x100 08ods 100x100 010ods 100x100 011 ods 100x100 012ods 100x100

Publicado em Notícias

Parceria entre a Fundação BB e Sebrae gera novas oportunidades ao produtor rural

Após duas fases implementadas com sucesso, o projeto Bioma Caatinga chega à terceira etapa com investimento social de mais de 1,5 milhão, R$ 778 mil da Fundação BB e R$ 791 mil do Sebrae- BA. O Bioma Caatinga é uma iniciativa que promove o fortalecimento da cadeia produtiva da caprinocultura e ovinocultura da Bahia, no território conhecido como Sertão do São Francisco.

Na nova fase, serão contratados 20 agentes de Desenvolvimento Rural Sustentável (ADRS), que atuarão junto a 600 criadores, com orientações técnicas produtiva, reprodutiva e sanitária do rebanho, para comercializar produtos diretamente com açougues, mercadinhos e supermercados, sem atravessadores, agregando maior valor ao produto.

Iniciado em 2010, o projeto teve como parceira a Associação Comercial Industrial e Agrícola de Juazeiro. Naquele ano, o valor investido foi de R$ 238 mil, usado para mapear a produção de ovinos e caprinos em cinco municípios baianos - Juazeiro, Uauá, Remanso, Curaçá e Casa Nova - e para identificar as carências e condições de vida das famílias.

Em dezembro de 2015, novo convênio com o valor de R$ 1,4 milhão firmado com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-BA) teve como meta dar assistência técnica gerencial aos criadores de ovinos e caprinos nas mesmas cidades, atendendo cerca de 1.050 produtores rurais. Nesta fase, também foi prestada assistência técnica empresarial às micro e pequenas empresas (MPEs), integrantes da cadeia produtiva, como açougues, casas de ração, minimercados e abatedouros, com a finalidade de aproximar as partes interessadas, melhorar os índices de produção, reduzir custos e, consequentemente, melhorar a renda do produtor rural.

A parceria também atuou na organização das rotas de produção - acomodando os criadores em torno dos mercados consumidores locais, como forma de reduzir custos e distâncias. Também foram aperfeiçoadas técnicas de preparo de ração; de plantio de palma forrageira, utilizada para o pasto dos rebanhos; na vermifugação; no tratamento de cascos e antecipação do desmame.

Presente no lançamento da terceira fase, o superintendente regional do Banco do Brasil, Moisés Cunha, falou sobre a satisfação com a renovação da parceria e continuidade das melhorias na cadeia produtiva de caprinos e ovinos na região. “Nosso objetivo é oferecer ao produtor condições para que ele cresça, aumente sua renda e amplie as atividades, e isso vem sendo atingido com o Bioma Caatinga. Vamos continuar o trabalho conjunto, investindo na capacitação e levando inovação para o homem do campo”, destacou.

A divulgação deste projeto está relacionada aos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS:

02ods 100x10008ods 100x100010ods 100x100

 

Publicado em Notícias

Aporte de R$ 1,2 mi vai permitir a continuidade do projeto e a inclusão social de 2 mil atendidos em São Paulo

Uma parceria entre a Fundação BB, a Rede Cidadã e Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social (SMADS) de São Paulo, firmada na última sexta-feira, 24, irá possibilitar a inclusão social de 2 mil pessoas em situação de rua na capital. Trata-se de projeto que mobiliza empresas, movimento sociais e o poder público para preparar e encaminhar moradores de rua para atividades empreendedoras ou inclusivas dentro do programa Trabalho Novo, iniciado este ano.

Inicialmente, empresas aptas para o projeto são cadastradas e mobilizadas. Também são identificadas pessoas atendidas que queiram participar da ação em 24 unidades de acolhimento da cidade para serem capacitadas. Após esta fase, os participantes são encaminhados para entrevistas de emprego e, caso sejam efetivados, são monitorados para avaliar a adequação aos postos de trabalho.

O investimento social da Fundação BB é de R$ 1,2 milhão, com a contrapartida de cerca de R$ 108 mil da Rede Cidadã. "O recurso investido pela Fundação permitirá a continuidade de um projeto que está dando certo. Já inserimos no mercado mais de 1,5 mil pessoas em situação de rua e atingimos uma taxa de permanência de 80 por cento", afirma a coordenadora do projeto, Tatiana Carvalho.

 01ods 100x100 03ods 100x100 010ods 100x100

Publicado em Notícias

Fundação BB e GDF assinaram convênio que prevê plantio de mudas nativas, construção de pequenas bacias para evitar assoreamento de rios e capacitação de 90 agricultores para o uso racional da água

Em meio à uma estiagem prolongada e uma das piores crises hídricas já enfrentradas no Distrito Federal, uma parceria entre a Fundação Banco do Brasil e o Governo do Distrito Federal irá investir um milhão de reais para a revitalização da bacia hidrográfica do Alto Rio Descoberto, que atende cerca de 70% da demanda de água da população.

Entre as ações previstas estão a revitalização de 224 nascentes com a participação de mutirões das comunidades para o plantio de mudas nativas do Cerrado; a construção de 1,2 mil Barraginhas (pequenas bacias que facilitam a infiltração da água no solo e impede o despejo de sedimentos em nascentes e leitos de rios); e a implantação de 40 unidades demonstrativas de manejo de irrigação.

Outra ação é a capacitação de 90 agricultores familiares para o uso racional da água e para a preservação das áreas de mananciais. "O envolvimento dos agricultores é fundamental para a preservação dos mananciais da Bacia do Descoberto, tanto no uso da água, quanto do solo. Por isso, vamos promover a capacitação e o envolvimento deles no plantio de mudas", afirmou o presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares.

Também faz parte do convênio a aquisição de veículos e equipamentos para readequação de estradas e propriedades rurais a fim de evitar enxurradas que levem ao assoreamento dos rios. A assinatura do convênio ocorreu durante a abertura da Terceira Mostra Tecnológica da Pecuária do Distrito Federal e da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride) – PecBrasília, no Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto, com a participação de diversas autoridades, inclusive o governador Rodrigo Rollemberg.

Leia também: Fundação BB faz parcerias para recuperação do Cerrado do DF

Foto Dênio SimõesAgência Brasília 1 

Foto: Denio Simões/Agência Brasília

A divulgação deste projeto contempla quatro Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

06 ods100x100 013ods 100x100 014ods 100x100 015ods 100x100

Publicado em Notícias

Parceria entre a administração da ilha e a Fundação Banco do Brasil irá apoiar a separação correta nas casas e empreendimentos

Esta segunda, 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, marcou também o início de projeto de conscientização ecológica em Fernando de Noronha (PE). Trata-se de coleta seletiva por meio da participação dos moradores, que contará com educação ambiental e distribuição de materiais para destino correto do lixo.

O objetivo do projeto "Jogue Limpo com Noronha – Coleta Seletiva e Compostagem" é estimular a participação dos moradores no cuidado ambiental. Após separação, os resíduos serão descartados de acordo com o manejo adequado.

A iniciativa tem a parceria da Fundação Banco do Brasil e será implantada em três etapas distintas. A primeira fase prevê sensibilização dos moradores e comerciantes por meio de palestras e distribuição de material educativo sobre a importância da coleta seletiva e destinação de forma adequada.

A segunda consiste na realização de oficinas de compostagem, com distribuição de kits, voltados para restaurantes, bares e pousadas. Os compostos orgânicos gerados serão utilizados como adubo na produção de hortas orgânicas.

Na última etapa, serão construídos Pontos de Entrega Voluntária (PEV), onde a população irá depositar o material já separado. Os PEVs vão receber papel, plástico, vidro, metal e óleo de cozinha. Os 4,5 mil moradores e os turistas serão beneficiados com a instalação dos PEVs.

Atualmente, a ilha produz dez toneladas de lixo por dia e 40 por cento é reciclável, mas a triagem não é feita pela população, somente na usina. A superintendente de Meio Ambiente e Turismo do Distrito de Fernando de Noronha, Ângela Tribuzi, explicou que a separação feita pelos moradores vai evitar perdas de recicláveis no contato com o orgânico.

Ângela destacou também que, ao conscientizar a população, o projeto apoiado pela Fundação BB irá complementar as ações para adequar a ilha à legislação estadual e federal de resíduos sólidos. "O projeto veio para completar toda a mudança que precisamos fazer. É importante a mudança de hábito da população para o descarte adequado. Governo e moradores, todos precisam contribuir nesse processo."

O projeto contará com o investimento social de R$ 241 mil, sendo R$ 218 mil da Fundação e R$ 23 mil da administração da ilha.

A divulgação deste projeto contempla três Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

11  13  15

 

Publicado em Notícias

Projeto Voluntários BB FBB 2017 teve 34 propostas habilitadas; Projeto Integração Voluntários BB Aposentados 2016 habilitou 15


A Fundação Banco do Brasil e o Banco do Brasil divulgaram o resultado da Chamada Interna do Projeto Voluntários BB FBB 2017. Na primeira e na segunda chamadas foram habilitadas 34 propostas, totalizando um valor de R$ 1,8 milhão.

Para completar o montante de investimento social previsto, de R$ 3 milhões, as propostas não habilitadas terão até o dia 29 de maio (dez dias úteis) para verificar as pendências encontradas no processo de validação. Terão prioridade na classificação as que forem registradas primeiro, conforme os critérios da seleção, até atingir o valor total de R$ 3 milhões.

A Chamada Interna é voltada iniciativas de inclusão socioprodutiva, geração de trabalho e renda, cuidado ambiental e educação, desenvolvidas por entidades sem fins lucrativos que tenham a atuação do Voluntariado BB. O valor determinado de cada proposta é de R$ 40 mil a R$ 60 mil.

Veja a lista das propostas habilitadas na Chamada Interna do Projeto Voluntários BB FBB 2017

Veja a lista das propostas não habilitadas com o respectivo item da chamada pendente

Confira as alterações nas regras

Funcionários aposentados

Também foi divulgado o resultado final da Chamada Interna do Projeto Integração Voluntários BB Aposentados 2016. Das 128 propostas enviadas pelas agências, 15 foram validadas na fase 2.

A seleção é destinada as entidades sem fins lucrativos que atuam no terceiro setor e tenham o apoio de funcionários aposentados do Banco do Brasil que desenvolvem trabalho voluntário. O valor de apoio da Fundação Banco do Brasil com recursos não reembolsáveis para cada proposta vai de R$ 35 mil a R$ 70 mil. O investimento social total aos projetos será de até R$ 1 milhão.

Confira o resultado final do Projeto Integração Voluntários BB Aposentados 2016 

A divulgação deste prêmio contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

11   17

Publicado em Notícias