Quarta, 22 Abril 2020 11:50

Maré de sabores: autonomia feminina que vem da cozinha Destaque

Escrito por
Avalie este item
(1 Votar)

Portal Interno Mare

Iniciativa promove educação profissionalizante às mulheres de comunidades do Rio de Janeiro

Cozinhar é um ato de amor, aquece o coração, a alma e alimenta. E quando a cozinha passa a transformar vidas, isso se torna ainda mais gratificante. É assim o trabalho do Maré de Sabores projeto que oferece oficinas de formação em gastronomia para moradoras do Complexo da Maré onde vivem 16 comunidades na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Criado em 2010, a partir de expressiva demanda local por qualificação profissional em gastronomia, o Maré de Sabores, iniciativa que integra a Redes da Maré, trabalha a alimentação como instrumento essencial para a melhoria da qualidade de vida das mulheres além de estimular o protagonismo feminino nas transformações sociais do território da Maré, desenvolvendo as habilidades e consequentemente encorajando sua inserção no mercado de trabalho.

A iniciativa foi certificada no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2019. “Pra nós é muito significativo porque reconhece que o projeto que fazemos há dez anos não só traz retornos efetivos a estas mulheres, mas produz conhecimento. O Maré de Sabores gerou uma metodologia que aplicamos dentro de um território popular, de favela, que pode ser partilhada com espaços similares em outras regiões do país. Mostra que estamos criando formas possíveis de atuar positivamente nestes territórios” comemora Mariana Aleixo, chef e coordenadora do projeto.

Formação

Gife MareSabores

Desde sua criação, 700 mulheres da Maré foram capacitadas pelo projeto. Em 2019, 69 mulheres fizeram o curso de formação básica e 17 o estágio avançado do Maré de Sabores, desvendando o universo dos pontos de cozimento, técnicas de finalização de pratos, manejo de utensílios de cozinha industrial, familiarização com novos ingredientes, utilização de produtos frescos e preparo de receitas sem glúten e sem lactose. “Essas mulheres, sobretudo, aprofundaram sua relação com a tradição gastronômica do território: sabores, temperos, ingredientes, cheiros e memórias de comidas preparadas nas cozinhas da comunidade. Sempre com a inconfundível influência da cultura nordestina e as receitas trazidas nas lembranças dos milhares de migrantes que ali moram”, ressalta Mariana.

Com a legitimidade conquistada a partir da certificação de participação no projeto, os desdobramentos dessa iniciativa mostram um impacto real na vida de muitas mulheres, que aumentaram suas possibilidades de atuar profissionalmente, entraram no mercado de trabalho ou começaram a empreender a partir da formação no projeto.

Mas nem só de panelas e receitas é feito o Maré de Sabores. As mulheres também participam das aulas de Gênero e Sociedade – espaço onde refletem sobre a condição feminina na comunidade e no mundo e aprendem sobre seus direitos.

Geração de renda

A partir da formação, o Maré de Sabores abriu uma outra frente de trabalho: o buffet, uma iniciativa para geração de renda na qual trabalham mulheres formadas nas oficinas do projeto que atende clientes em toda a cidade do Rio de Janeiro. São brunchs, lanches, almoços e participação em eventos – como os festivais WOW Rio em 2018 e o Rock in Rio em 2019 – levando receitas próprias, que são a identidade da Maré. Em 2019, o Maré de Sabores participou de 113 eventos, envolvendo diretamente 19 mulheres oriundas do projeto e atendendo quase 10 mil pessoas.

Mês da Educação

Neste mês, a Fundação BB está realizando uma série de matérias e conteúdos em suas redes sociais para falar da importância da educação. A ação tem a parceria do Canal Futura e do Instituto Ayrton Senna. Acompanhe nossos canais e fique por dentro dos nossos conteúdos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | Youtube

Ler 7099 vezes Última modificação em Quarta, 22 Abril 2020 11:58

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.