Atividades culturais e esportivas serão oferecidas para estudantes de 6 a 18 anos

Renovação da parceria entre a Fundação Banco do Brasil, a Federação Nacional das AABB (Fenabb) e a Fundação Cidade Mãe (FCM), formalizada na última sexta-feira, 2, irá garantir complementação escolar para 240 crianças da periferia de Salvador (BA). O projeto integra o programa AABB Comunidade, que oferece atividades em diversas cidades do País, como aulas de inglês, informática, artes, futebol e balé a estudantes de 6 a 18 anos de idade incompletos.

O presidente da AABB em Salvador, Zaki Chagouri Ocke, acompanha as ações do projeto há 15 anos e observou o desenvolvimento de muitos alunos. Ele destacou que algumas crianças atendidas tornaram-se professores e até educadores do próprio programa.

Um exemplo é a ex-aluna Nainara Lima, que participou das atividades do AABB Comunidade e hoje é atleta de futebol profissional, atuando como zagueira do Esporte Clube Vitória. “Sinto-me plenamente gratificado pelo privilégio de acompanhar a trajetória de inúmeros jovens. O caso de Nainara é especial, por se tratar de uma adolescente que chegou bastante jovem ao projeto social e sempre se destacou como líder nata e ‘fera’ no esporte. Desejamos absoluto sucesso e pretendemos vê-la defendendo, muito em breve, a seleção brasileira”, afirmou Zaki.

Carlos Motta, superintendente estadual da Bahia, reforçou que, “além das ações com os educandos, por meio de atividades educacionais e de inclusão social, que ampliam a consciência cidadã, o programa também proporciona formação e aperfeiçoamento aos educadores”.

Programa Integração
O AABB Comunidade propõe a integração entre escola, família e comunidade, por meio de um plano pedagógico que prevê a ampliação da cidadania e tem na educação um fator de transformação social. Os compromissos com o desenvolvimento integral e a dignidade da criança e do adolescente, além do cuidado socioambiental, complementam a formação.

A Fundação BB e a Fenabb são instituidores do programa, que, neste ano, completa 30 anos de atuação. A Fundação é responsável pelo apoio no fornecimento de kits educativos para as atividades artísticas, esportivas e pedagógicas. Já a Fenabb fornece os espaços físicos das AABBs para o desenvolvimento das aulas.

Reconhecimento
Em maio, o Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul reconheceu o projeto “Dialogando e criando respostas sobre o mundo digital com crianças, MPF e Safernet”, coordenado pela AABB Comunidade de Porto Alegre (RS), durante o V Prêmio República de Valorização. A proposta venceu na categoria Responsabilidade Social entre 91 iniciativas apresentadas.

Fruto da ação pedagógica “Semelhanças e Diferenças”, implantada durante o ano passado, o projeto envolveu 100 educandos, entre crianças e adolescentes, em um debate sobre questões relacionadas às variadas possibilidades do mundo digital e seu uso responsável.

Na capital gaúcha, o AABB Comunidade atende a cerca de 200 crianças de quatro escolas de Ensino Fundamental da Rede Municipal de Porto Alegre.

A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

3 4

Publicado em Notícias

Apoio da Fundação Banco do Brasil ao projeto possibilita a formação de contadores de histórias

Com quase duas décadas de trabalho voluntário e dez anos de atuação em hospitais públicos do Distrito Federal, a Associação Viva e Deixe Viver formalizou na segunda quinzena de maio, convênio com a Fundação Banco do Brasil no valor de R$ 68 mil.

O investimento social será destinado à capacitação de voluntários para contação de histórias. Serão oferecidas 14 oficinas diretamente nos hospitais Materno Infantil (HMIB) e Regional de Ceilândia (HRC), em atividades práticas juntamente com os educadores, oficineiros e crianças.

Os recursos permitirão a continuidade das ações de educação e cultura na saúde do projeto "Viva Feliz", que atende crianças e adolescentes internados. O objetivo é tornar o período clínico e de internação hospitalar em um momento mais alegre, agradável e terapêutico, tanto para os atendidos, como para os familiares. Nas atividades, a Unidade Viva Brasília conta com equipe composta por 80 voluntários cadastrados.

“A parceria com a Fundação BB tem um significado muito especial para nós. Ela vai permitir aprimorar os conhecimentos de nossos voluntários e divulgar o nosso trabalho de humanização hospitalar. Também teremos oportunidade de tornar nossa ação mais eficiente, proporcionando a melhora no atendimento oferecido ao usuário e ao servidor da saúde”, declarou Adriana Dias, coordenadora da Associação.

Os voluntários são identificados com aventais coloridos e organizados em escala de alas, dias e horários, de forma a atender o maior número de crianças e adolescentes. São desenvolvidas atividades tais como leitura, canto, dramatização e jogos, como forma de desenvolver as aptidões dos pacientes e proporcionar a humanização dos serviços de saúde.

Todo o atendimento prestado pelos contadores é registrado no Diário do Contador, um sistema de controle no site www.vivaedeixevirer.org.br. Além de São Paulo e Distrito Federal, a Associação Viva e Deixe Viver também atua no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Ceará, Bahia e Pernambuco.

“Temos a expectativa de melhorar e ampliar nossos serviços, fortalecendo valores e princípios éticos essenciais entre os sujeitos que trabalham na saúde”, concluiu a coordenadora.

A divulgação deste projeto contempla um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.
3

Publicado em Notícias