Sexta, 06 Julho 2018 10:11

Escola rural de Caxias do Sul (RS) ganha laboratórios e amplia acervo bibliográfico Destaque

Escrito por Elizângela Araújo
Avalie este item
(1 Votar)

Parceria com a Fundação BB possibilitou compra de equipamentos e obras didáticas. Os laboratórios estão em fase de implementação

A fundação da Escola Família Agrícola da Serra Gaúcha (EFASERRA), em 2015, abriu perspectivas para jovens camponeses e famílias da região ao proporcionar formação técnica por meio da Pedagogia da Alternância, metodologia que concilia conhecimentos técnicos agrícolas e atividades práticas em propriedades rurais. Localizada em Caxias do Sul, a 128 km da capital Porto Alegre, a entidade abriga 80 jovens entre 13 e 17 anos.

Agora, em parceria com a Fundação Banco do Brasil, a escola adquiriu equipamento para estruturar laboratórios de informática, agroindústria, topografia e desenho técnico e os estudantes não precisarão mais se deslocar para outras localidades para terem acesso aos cursos. Orçado em R$ 239 mil, o projeto também possibilitou a compra de máquinas, equipamentos, ferramentas e insumos para aulas experimentais. Com os recursos, a instituição ainda vai ampliar o acervo bibliográfico.

Alceu Dalle Molle, presidente da associação, conta que atualmente as turmas se deslocam até 50 Km para utilizarem os laboratórios de uma entidade parceira, localizada em Bento Gonçalves. “Os gastos com transporte são elevados e o tempo de utilização dos espaços fica restrito”, explica.

A EFASERRA é mantida com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e com apoio do governo estadual e instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), entre outras. O custo por aluno, segundo a AEFASSERA, é de R$ 1.500,00.

Ao terminar o ensino médio na EFASERRA, os jovens precisam cumprir 400 horas de estágio em instituições como Embrapa, cooperativas do sistema Sicredi e outras com as quais a escola mantém parceria. A escola cobra uma mensalidade de R$ 500 por mês aos alunos que podem pagar. Os demais recebem bolsa integral ou parcial, conforme a renda familiar. Para estudar na EFASERRA, é exigido que o jovem seja filho de agricultores. “Nosso objetivo é oferecer uma educação e uma formação ampla para que a juventude permaneça na agricultura”.

Pedagogia da Alternância

Originária da França, a Pedagogia da Alternância prevê que durante alguns dias os jovens aprendam na escola conhecimentos gerais e técnicos voltados para a realidade agrícola e, noutro período, aplique os conhecimentos na propriedade familiar ou nos arredores da escola. O método foi estabelecido por educadores e camponeses franceses em 1935 e chegou ao Brasil em 1969. Na EFASERRA, os jovens ficam uma semana na escola e uma semana em casa. Às vezes também vão para casa em dupla, para que possam viver experiências diferentes e trocar vivências.

De acordo com a União Nacional das Escolas Famílias Agrícolas do Brasil (Unefab) e das Associações Regionais das Casas Familiares Rurais (Arcafar), há 270 instituições que adotam o método da Pedagogia da Alternância no país. Ao todo, englobam cerca de 17 mil estudantes. O sucesso da metodologia é tamanho que há um projeto de lei tramitando no Senado para incluí-la na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

A realização deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

 04ods 100x100 010ods 100x100      

 

Ler 6491 vezes Última modificação em Sexta, 28 Setembro 2018 13:30

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.