Terça, 17 Dezembro 2019 13:14

Nossa Feira Popular e Solidária chega em Cachoeira (BA) Destaque

Escrito por Dalva de Oliveira e Kelly Quirino
Avalie este item
(0 votos)

Portal Interno NF Cachoeira

Estratégia Município Mais que Digital contempla 21 feiras populares no Nordeste

A cidade de Cachoeira (BA) é conhecida nacionalmente por causa dos casarões coloniais, da ponte sob o Rio Paraguaçu inaugurada por Dom Pedro II, pela bicentenária Irmandade da Boa Morte e agora por ter a sua feira livre revitalizada pela Fundação Banco do Brasil, com apoio da Cáritas Brasileira.

No sábado (14), a comunidade da cidade reinaugurou a feira municipal. O espaço que fica na Praça Maciel, é utilizado por 518 barracas. No local são vendidos diferentes produtos - artesanato, roupas, pescados, carnes e produção da agricultura familiar. A ação faz parte do projeto Nossa Feira Popular e Solidária, que revitalizou outras 20 feiras nos estados da Bahia, Maranhão, Paraíba e Piauí, beneficiando 2.700 feirantes.

O projeto está inserido na estratégia Município Mais que Digital, uma ação do Banco do Brasil e municípios, cujo objetivo é fortalecer as economias locais, por meio do estímulo às soluções digitais de pagamento, com uma abordagem territorial de promoção do desenvolvimento sustentável, beneficiando a comunidade local.

O vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, João Pinto Rabelo Júnior participou do evento e destacou a importância do projeto Nossa Feira que promove a dignidade dos feirantes e amplia o investimento social no desenvolvimento econômico de pequenos municípios. “É muito bom ver essa feira toda amarela desse jeito, com a presença do Banco do Brasil. E mais do que isso, o projeto Nossa Feira está inserido na estratégia Município Mais Que Digital, que tem por objetivo continuar levando desenvolvimento por intermédio de outras transações financeiras, reduzindo o uso do papel moeda, ampliando as opções do uso cartão e outros meios de transações digitais”, destacou.

Recôncavo Baiano

Às margens do Rio Paraguaçu, a cerca de 130 quilômetros de Salvador, Cachoeira preserva sua identidade cultural e histórica, é considerada como "Cidade Monumento Nacional" pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), fazendo do município um dos principais roteiros turísticos históricos do estado.

Durante a cerimônia, o diretor de Desenvolvimento Social da Fundação Banco do Brasil, Rogerio Biruel, destacou a importância das parcerias para o sucesso do projeto e oportunidade da Fundação BB participar de uma iniciativa que agrega o fortalecimento da economia local. “A Fundação BB trouxe ao projeto a sua experiência naquilo que há 34 anos vem fazendo: desenvolvendo ações de inclusão socioprodutiva. A cidade ganhou uma feira linda que contribuirá na ampliação do turismo local e consequentemente na geração de emprego e renda", declarou.

O prefeito de Cachoeira, Fernando Antônio da Silva (Tato), agradeceu a todos pelo empenho e luta para transformar a feira. “Nós entregamos todos os instrumentos necessários para ter uma feira digna, e para que o feirante tenha condições de gerar renda. O que pedimos é que ele cuide, porque a barraca que ele recebeu é o seu instrumento de trabalho. É de onde ele tira o sustento da sua família. Que cada feirante possa cuidar da feira, com o mesmo carinho e cuidado que um dono de um supermercado cuida do seu comércio”. declarou o prefeito.

Antônio Alberto Bispo (Bia) é feirante e cliente do Banco do Brasil, e utiliza das facilidades do pagamento em cartão na sua barraca de frutas. “Ter uma maquininha de cartão facilita tanto para quem compra quanto para mim, porque muitas vezes, a pessoa não está com dinheiro. E nos finais de semana o banco também não abre. E o melhor é que o pagamento no débito cai na minha conta na hora. Já os créditos caem em até dois dias, sem contar a segurança”.

Nossa Feira Popular e Solidária

As feiras livres, sobretudo, em municípios da região Nordeste são espaços de convivência, de comércio popular e de manifestações culturais. É um importante indicador da atividade econômica, além de serem tradicionais pontos de encontro e interação social, que aproximam produtores rurais, comerciantes e consumidores.

Diante desse cenário, a Fundação Banco do Brasil e o Banco do Brasil formularam uma estratégia de intervenção que pudesse beneficiar as pessoas desses municípios, encontrando nas feiras livres uma oportunidade de geração de trabalho e renda. O projeto consistiu em duas etapas: elaboração do diagnóstico para o levantamento das demandas dos feirantes e dos municípios e a segunda etapa diretamente relacionada a aquisição e distribuição de barracas padronizadas, balanças digitais, contêineres, lixeiras, equipamentos de proteção individual além de uniformes. A iniciativa também contemplou capacitações em educação financeira e gestão de resíduos sólidos para todos os feirantes.

O Nossa Feira Popular e Solidária recebeu investimento social de R$ 10 milhões da Fundação BB, beneficiando mais de 2.700 feirantes em 21 municípios nos estados da Bahia: Antas, Ibirataia, Canudos, Nordestina, Crisópolis, São Félix, Pau Brasil e Abaíra; no Maranhão: Pedreiras, Presidente Dutra, São Domingos, Viana, Lago da Pedra, Pindaré Mirim; na Paraíba: Areia, Boqueirão, Conceição, São João do Rio do Peixe e no Piauí: Demerval Lobão e Castelo do Piauí.

Ler 3055 vezes Última modificação em Terça, 17 Dezembro 2019 14:35

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.