Quarta, 10 Agosto 2016 00:00

Cajucultura no nordeste da Bahia recebe novo incentivo Destaque

Escrito por Dalva de Oliveira
Avalie este item
(0 votos)

Investimento de R$143,3 mil na Cooperacaju, em Ribeira do Pombal, será destinado à reestruturação da entidade e compra de máquinas e equipamentos

Na manhã desta quarta-feira (10), a Cooperativa da Cajucultura Familiar do Nordeste da Bahia (Cooperacaju) e a Fundação Banco do Brasil assinam convênio para aperfeiçoamento dos empreendimentos que compõem a Rede Cooperacaju. As ações vão contribuir para a melhoria da qualidade de vida e incremento de renda dos produtores de castanha de caju da região nordeste da Bahia.

O recurso de R$ 143,3 mil será aplicado na construção do muro de cercamento do prédio da entidade e nas adequações hidráulicas e elétricas da edificação; na compra de um veículo; na aquisição de cinco máquinas e equipamentos usados na produção de embalagens; e também na compra de dispositivos de informática e softwares. 

O gerente do Banco do Brasil em Ribeira do Pombal (BA), Djalma Matos, representará a Fundação BB na assinatura de convênio que acontece, às 9h15, na sede da Cooperativa, juntamente com a presidente da Rede Cooperacaju, Maria da Paz. Em seguida, o contador José Chainy e o consultor Jesiel Campos vão ministrar uma oficina de gestão financeira e operacional para diretores e cooperados da Rede. 

Cinco cooperativas compõem a Rede Cooperacaju: Cooperativa regional do Agricultores de Antas, novo Triunfo e Sitio do Quinto (Coopans ); Cooperativa dos Cajucultores Familiares da Microrregião de Banzaê, Euclides da Cunha e Quijingue (Cooperbeq); Cooperativa Regional dos Agricultores Familiares de Ribeira do Amparo, Cipó e Ribeira do Pombal (Cooperprac); Cooperativa dos agricultores familiares de Tucano e Araci (Coopatua) e Cooperativa Regional dos Agricultores de Lamarão, Água Fria, Biritinga e Sátiro Dias (Coopralabs).

Desde 2006, a Fundação BB investiu R$ 5,3 milhões na Rede Cooperacaju - na organização da cadeia produtiva de caju, com estruturação das minifábricas de castanha, capacitação dos produtores e comercialização da produção. Os projetos envolveram 7.145 pessoas nestes 10 anos.

 

Cooperacaju
Ler 8615 vezes Última modificação em Sexta, 02 Setembro 2016 11:26

1 Comentário

  • Link do comentário wilson Quinta, 14 Junho 2018 11:21 postado por wilson

    bom dia eu sou de monte santo e moro em sp a 33 ano e trabalho com castanha de caju vindo direto do rio grande do norte queria ver preço e pocibilidade de trabalhar com castanhade ribeira do pombal obrigado agradeço desde ja

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.