Portal Interno Escuelas

Ao lado de iniciativas da Guatemala e Colômbia, metodologia da República Dominicana é vencedora internacional no Prêmio de Tecnologia Social

Há muitos laços que conectam os latino-americanos: as línguas de origem latina, a diversidade cultural e social além de uma desigualdade socioeconômica, herança de um passado colonial. Apesar da vulnerabilidade política e econômica da região, há luta, resistência, solidariedade e amor tão bem descritos por autores como o colombiano Gabriel García Márquez, o guatemalteco Miguel Ángel Astúrias (ambos ganhadores do Nobel de Literatura) e o dominicano Juan Bosch em suas obras Cem Anos de Solidão, Homens de Milho e O Ouro e a Paz, respectivamente.

As soluções apresentadas por instituições da Colômbia, Guatemala e República Dominicana, poderiam ser alegorias do realismo mágico de alguns destes autores latinos, porém são iniciativas reais que foram criadas para resolverem de forma simples questões relacionadas ao ensino de ciência nas escolas, comercialização de produtos agroecológicos em território indígena e a conscientização de estudantes sobre gestão de resíduos sólidos.

Na disputa entre República Dominicana, Guatemala e Colômbia, a tecnologia social Escuelas Ambientalmente Sostenibles y Cultura 3R da República Dominicana, foi a grande vencedora do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2019, na categoria Internacional.

O Instituto Nacional de Bienestar Estudantil (INABIE) criou um programa para conscientização ambiental baseado nos 3R’s - reduzir, reutilizar e reciclar, que consiste na conscientização ambiental dos estudantes que passaram a integrar ações de consumo consciente e de reciclagem de materiais utilizados nas rotinas escolares tal qual as caixas de sucos e leites entregues aos estudantes na merenda.

Para solucionar o problema do lixo gerado, o programa foi estruturado em três eixos: Reduzir: capacitação dos estudantes para serem soldados ambientais por meio de oficinas, seminários e conferências para diminuir a geração de resíduos sólidos. Reutilizar: promoção de ações para explorar a criatividade dos estudantes para encontrar alternativas de uso do material gerado para a manutenção saudável do ambiente; e Reciclar: parte do programa que recupera os resíduos oriundos da alimentação escolar, por meio da lavagem, secagem e separação das caixas que são armazenadas e retiradas pelos fornecedores dos alimentos escolares que reintegra este material na indústria.

Joselyn Gutierrez do Departamento de Cooperação Internacional do INABIE afirma que a premiação é um reconhecimento do trabalho realizado na República Dominicana. “É uma oportunidade de mostrarmos o que estamos fazendo nas escolas. Estamos transformando a vida das crianças,  criando novos paradigmas por meio de responsabilidade ecológica e cultural, além de  novos precedentes para criarmos uma cultura sustentável para o meio ambiente”.

Na categoria Internacional, as tecnologias sociais Compras Públicas no Território Indígenas Maias-Ch-orti, da Guatemala, e o Programa Ondas Atlântico para Geração Inicial de Vocações Cientificas, da Colômbia, ficaram na segunda e terceira colocação, respectivamente.

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social

O Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social foi criado em 2001 e neste ano chegou a sua 10ª edição certificando 118 iniciativas brasileiras e cinco da América Latina. As tecnologias sociais certificadas na categoria internacional foram da República Dominicana (1), Guatemala (2), Colômbia (1) e da Argentina (1). Em 2017, foi criada a categoria internacional e a vencedora daquela edição foi a tecnologia Caminos de La Villa, da Asociación Civil por la Igualdad y la Justicia, de Buenos Aires.

A 10ª edição o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social teve a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Publicado em Notícias

Projeto desenvolvido pela Fundação BB receberá prêmio no Fórum Latinoamericano e Caribeño de Habitação na República Dominicana

Mobilizar moradores por meio da convivência social e da reaplicação de tecnologias sociais em empreendimentos de baixa renda, permitindo o protagonismo social e a geração de emprego. As finalidades do projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social (Muts) da Fundação BB, em parceira com a Rede Interação, foram reconhecidas no “Concurso de Práticas Inspiradoras, a Vivência no Centro da Nova Agenda Urbana”.
O prêmio foi entregue às 14 práticas identificadas na promoção da habitação adequada como motor de desenvolvimento urbano sustentável na América Latina e o Caribe, durante o Fórum Latinoamericano e Caribeño de Habitação, entre os dias 12 e 14 de junho, em Santo Domingo, República Dominicana. O Fórum é realizado a cada três anos pela Onu-Habitat, em parceria com as organizações Cities Alliance e Habitat para la Humanidad.

Premiado na categoria “Inovações tecnológicas para a habitação e para uma cidade sustentável e inclusiva”, o Muts atua nos conjuntos de moradias populares, com renda familiar abaixo de R$ 1,8 mil, com duas tecnologias sociais: a primeira de mobilização, organização e fortalecimento comunitário, por meio de autorrecenseamento produzido pela própria comunidade, para levantar informações sobre o perfil demográfico e socioeconômico.

A segunda metodologia é escolhida pelos moradores dentre quatro opções disponibilizadas: - “Bibliotecas Comunitárias Vaga Lume”; “Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana - Revolução dos Baldinhos”; “Rede Criar – Joias Sustentáveis na Ilha das Flores” e “Produção Agroecológica de Alimentos em Meio Urbano” -, consolidando o processo de organização.

O gerente de Parcerias Estratégicas da Fundação Banco do Brasil, Rogério Miziara, representou a Fundação no evento. No dia 12, às 14 horas, ele apresentou a estratégia da FBB e o alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no painel "Habitação, Inclusão Econômica e sua relação com os ODS".

 “Esse prêmio indica que estamos no caminho certo e que a organização comunitária de base é estratégia central para a Nova Agenda Urbana”, declarou o diretor-técnico da Rede Interação André Folganes Franco. Desde o início, o projeto já atendeu 62 conjuntos habitacionais, com aproximadamente 31 mil moradias, 110 mil moradores em 47 cidades. Desses empreendimentos, 24 conjuntos habitacionais já escolheram a segunda tecnologia, sendo que em 16 as atividades já foram concluídas.

“O grande desafio do Muts não é transferir tecnologias sociais, conhecimentos metodológicos ou realizar atividades, e sim, tocar o coração das pessoas, transferir os nossos sonhos e o nosso propósito. Nosso desafio agora é avaliar os resultados para que o projeto seja ainda mais efetivo e significativo para as comunidades beneficiárias”, destacou André.

Nova Agenda Urbana
A agenda urbana é um documento firmado em 2016 que orienta a urbanização sustentável pelos próximos 20 anos. Entre as principais disposições do documento está a igualdade de oportunidades para todos; o fim da discriminação; a importância das cidades mais limpas; a redução das emissões de carbono; o respeito pleno aos direitos dos refugiados e migrantes; a implementação de melhores iniciativas verdes e de conectividade, entre outras.

A realização deste projeto contempla três Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

   010ods 100x100 011 ods 100x100 017ods 100x100

 

Publicado em Notícias