Portal maior votorantim

Projeto vai beneficiar 109 pessoas, por meio da comercialização do excedente da produção, do acesso e manejo sustentável da terra e da água para a produção de alimentos

A Fundação Banco do Brasil e a Votorantim Energia, por meio do Instituto Votorantim, formalizaram um acordo de cooperação para implantação de tecnologias sociais no Piauí. A comunidade rural da Serra do Inácio, município de Curral Novo, vai receber a implantação de seis metodologias, referentes ao projeto “Tecnologias Sociais na Serra do Inácio - Curral Novo (PI) Bem Viver no Semiárido”. A ação vai beneficiar famílias de agricultores, por meio da comercialização do excedente da produção, do acesso e manejo sustentável da terra e da água para a produção de alimentos. As famílias vão receber capacitação em políticas de enfrentamento à seca, sustentabilidade alimentar e nutricional.

A parceria tem investimento social de R$ 1 milhão. Pelo acordo, 50% serão aplicados este ano e a diferença em 2020. A primeira etapa consiste na implantação de três cisternas de primeira água, 16 cisternas de produção, 26 quintais agroecológicos e dez Sistemas Bioágua; totalizando 55 estruturas construídas. Além disso, serão capacitados 26 multiplicadores de tecnologia social, contratação de equipe técnica e aquisição de equipamentos de informática e um veículo. O objetivo da capacitação é que haja disseminação de conceitos de produção agroecológica, conservação ambiental, economia solidária e de acesso às políticas públicas, reaplicação de tecnologias sociais, aplicação e diversificação de plantas e alimentos nativos para proporcionar melhorias alimentares e a comercialização da produção excedente.
Na segunda etapa, serão implantados 23 banheiros ecológicos redondos, 16 sistemas bioágua, oito instalações de energia solar, totalizando 47 estruturas construídas.

“Essa parceria da Fundação é muito importante para o conglomerado, e nos permite a trabalhar mais perto das empresas ligadas ao Banco do Brasil, como é o caso da Votorantim. Estamos realizando um sonho antigo. E no seguimento do Terceiro Setor, quando a gente coloca pessoas para pensar e trabalhar juntas, os resultados são melhores”, disse o vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, João Pinto Rabelo Júnior.

Em contrapartida, a Cáritas Diocesana de Crato, executora do projeto, investirá R$ 52,8 mil, que serão aplicados na contratação de comunicador, curso modular de formação em agroecologia, desenvolvimento solidário e convivência com o semiárido, além de evento de solenização e material promocional, lanches e gastos com deslocamento de pessoal.

“Essa é a consolidação de uma longa parceria entre o Instituto Votorantim e a Fundação BB. Vamos atuar em uma região com muita demanda e muita carência. E estar junto com a Fundação nessa iniciativa é uma honra e ao mesmo tempo uma facilidade, porque vamos aproveitar todo “know how”, toda experiência que ela tem de atuação no semiárido. Com o projeto, vamos alinhar a expectativa da Votorantim Energia naquela região e, como isso, poder trazer junto com o desenvolvimento de negócios, o desenvolvimento também da comunidade.”, declarou o diretor-presidente do Instituto Votorantim, Cloves Otávio Nunes de Carvalho.

Para identificar as necessidades da comunidade e a maneira mais eficiente na aplicação dos recursos, foi realizado um diagnóstico com representantes da Fundação BB e do Instituto Votorantim. O resultado do trabalho indicou a reaplicação de várias tecnologias sociais para reduzir as necessidades hídricas de consumo e produção, saneamento básico e fornecimento de energia elétrica.

“Quero agradecer e parabenizar a todos por essa parceria. Em primeiro lugar o Instituto Votorantim pelo profissionalismo e cuidado que dispensa às comunidades onde a Votorantim desenvolve suas atividades, nesse caso em especial a Votorantim Energia. Já a Cáritas, a gente agradece e fica honrado de poder aprender com vocês, que têm um histórico de atuação social e de estarem próximos à realidade das famílias. Vamos atuar juntos na mobilização social, formar lideranças, implementar tecnologias sociais e transformar a vida dessas famílias”, disse Asclepius Soares, presidente da Fundação BB.

Sobre as tecnologias
As iniciativas que serão reaplicadas no projeto fazem parte do Banco de Tecnologias Sociais da Fundação Banco do Brasil (BTS), da Fundação BB, que hoje conta com 986 iniciativas. O acervo está disponível também nas versões em francês, inglês e espanhol e pode ser consultado no celular, pelos sistemas operacionais IOS e Android, por meio do aplicativo BTS.

IMG 0527IMG 0577IMG 0589IMG 0583

 

Publicado em Notícias

Portal Maior Teresina

Projeto tem investimento social de R$ 2,3 milhões, sendo R$ 2 milhões da Fundação BB, e o restante de contrapartida da Prefeitura de Teresina 

A Fundação Banco do Brasil e a Prefeitura de Teresina (PI) lançaram na sexta-feira (29), em Teresina (PI), o projeto “Apoio ao Desenvolvimento da Agricultura Agroecológica e Produção Orgânica de Hortaliças". O evento realizado no salão nobre da Prefeitura contou com a presença do presidente da Fundação BB, Asclepius Soares, do diretor de Governo do Banco do Brasil, Ênio Mathias Ferreira e de representantes da Prefeitura de Teresina e de horticultores beneficiados.

O convênio de cooperação financeira vai receber o investimento social de R$ 2,3 milhões, sendo R$ 2 milhões da Fundação BB, e o restante de contrapartida da Prefeitura de Teresina. O projeto será executado pela Superintendência de Desenvolvimento Rural de Teresina e vai atender cerca de 1,4 mil agricultores familiares.

O objetivo do projeto é promover o desenvolvimento da agroecologia e produção orgânica de hortaliças, do cultivo de arroz, feijão, milho, mandioca, além da oferta de composto orgânico, comercialização de hortaliças sanitizadas, higienizadas e padronizadas, contribuindo para a melhoria do padrão alimentar, nutricional e renda das famílias.

Os recursos financeiros serão investidos na compra de equipamentos (trator agrícola, caçambas, caminhão, triciclos com baú isotérmico/refrigerado), compostador de resíduos orgânicos, além de usina de processamento de coco verde, aquisição de sementes de hortaliças, de materiais de higiene, limpeza, embalagens, compra de adubo orgânico e a realização de cursos na área de higienização e sanitização, de agroecologia e produção orgânica.

Investimento social no estado do Piauí
Nos últimos 10 anos, a Fundação Banco do Brasil investiu cerca de R$ 56,4 milhões no estado do Piauí. Foram 249 projetos executados, em 101 municípios e 104,7 mil pessoas atendidas. Na capital Teresina, de 2009 até 2019, a Fundação Banco do Brasil aportou R$ 28,4 milhões em 27 projetos e cerca de 5 mil pessoas foram beneficiadas.

No estado, o maior investimento foi na construção de cisternas de água de beber e de produção. Foram R$ 33,5 milhões investidos para garantir o acesso a água para 1,4 mil famílias. O programa AABB Comunidade, que atende crianças e adolescentes no contraturno escolar, recebeu R$ 4.5 milhões e atendeu 12,6 mil estudantes. Foi o segundo maior investimento da FBB no estado do Piauí. As cadeias de produção de mel e caju, também receberam aporte de R$ 1.7 milhões e R$ 700 mil, atendendo 4.6 mil participantes.

c941a939388e45cb72682199e5cbf7cdceb2c38b

Fotos: acervo Prefeitura Municipal de Teresina.

 

Publicado em Notícias