Maestro João Carlos Martins regerá grupos musicais participantes de plataforma digital integrada ao projeto apoiado pela Fundação BB

Taubaté, no interior de São Paulo, será a primeira cidade a ser visitada neste ano pelo maestro João Carlos Martins, que está percorrendo o país com o projeto Orquestrando o Brasil. Na ocasião, o maestro regerá um concerto especial reunindo grupos musicais da região na próxima sexta-feira (8), no Teatro Sedes. A entrada é gratuita.

Realizado por meio de uma parceria entre a Fundação Banco do Brasil, Sesi/SP e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) , o Orquestrando o Brasil é uma plataforma digital que visa proporcionar interação entre os grupos de orquestras, regentes e músicos do país, além de propagar conteúdos para troca de conhecimentos. O projeto foi lançado em 2018 e desde então o maestro João Carlos Martins está percorrendo diversos estados para divulgar a plataforma e incluir os grupos. O portal visa construir uma relação permanente e online de suporte e informação. A plataforma dá apoio para que, a partir dos recursos humanos e físicos de cada comunidade, os envolvidos possam liderar um movimento de expansão ou consolidação da música local. Um canal de comunicação, informação e interação, que tem o objetivo de unir os músicos.

Em 2018 o maestro já visitou cidades da Paraíba, Paraná, Minas Gerais, São Paulo e Ceará. Hoje a plataforma já conta com mais de 200 orquestras e bandas, um universo que representa quase oito mil músicos, com grupos musicais de diversos municípios espalhados pelo país. Para este ano também estão previstas apresentações com os grupos de orquestras de Maringá (PR), Crato (CE) e Brasília (DF). Além disso, um grupo de Croatá (CE) será convidado para uma apresentação no Centro de Tradições Nordestinas de São Paulo junto ao maestro. Para o encerramento, no final do ano, outros seis maestros e seis músicos de diferentes grupos serão convidados para uma apresentação no Teatro Municipal de São Paulo, para uma apresentação junto à Bachiana Filarmônica de SP.

Dentre os grupos cadastrados no portal, 50 serão selecionados para atendimento por consultoria customizada, sendo priorizado o acesso de mulheres e jovens regentes nos cursos de formação.

Serviço:
Concerto Especial do Orquestrando o Brasil com João Carlos Martins
Dia: 8 de março
Hora: 20h
Local: Teatro do Sedes (Avenida Dr. Benedito Elias de Souza, 705 – Jd. Jaraguá - Taubaté/SP)
Entrada Franca

Publicado em Notícias

Projeto foi criado para disseminar conteúdos, oferecer capacitação para regentes e músicos e ser ferramenta para a troca de conhecimento

Desde que foi lançado, em 2018, o Orquestrando o Brasil já reúne 160 grupos musicais espalhados pelos estados de Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo.

A plataforma digital idealizada pelo maestro João Carlos Martins com o apoio da Fundação Banco do Brasil, SESI/SP e FIESP disponibiliza notícias e vídeos de capacitação técnica e artística, além do treinamento necessário para que regentes e coordenadores se tornem agentes mobilizadores da sociedade, coordenando apoios locais e ampliando o acesso das suas comunidades à cultura, possibilitando também a organização e formação de orquestras infantojuvenis ou adultas, reunindo os conjuntos locais que atuam de forma independente.

O portal visa construir uma relação permanente e on-line de suporte e informação, tendo como objetivo principal ajudar os grupos nas complexas tarefas de organizar uma orquestra e contribuir para que eles aprimorarem suas apresentações. A plataforma também dá apoio para que, a partir dos recursos humanos e físicos de cada comunidade, os envolvidos possam liderar um movimento de expansão ou consolidação da música local.

Para fazer parte do projeto, os grupos interessados devem fazer a inscrição neste link: https://www.orquestrandobrasil.com.br/grupos-integrantes/

Publicado em Notícias
Terça, 15 Janeiro 2019 10:17

Música clássica como inclusão social

Projeto Reciclando Sons utiliza a música clássica como método para geração de renda no Distrito Federal

Quando idealizou o projeto Reciclando Sons em 2001, a maestrina Rejane Pacheco sabia que poderia escrever uma história diferente para as crianças, adolescentes e jovens da Cidade Estrutural (DF). E uma de suas prioridades era que eles tivessem acesso aos espetáculos e escolas de música.

O nome dado ao projeto “Reciclando Sons” faz referência à reciclagem de lixo, ocupação da maioria dos moradores da cidade quando o projeto foi criado, e de onde eles tiravam a renda para o sustento das famílias.

Prestes a completar dezoito anos, a pequena escola de música ganhou corpo, firmou parceiras e se tornou um instituto. A partir de então, desenvolveu a metodologia que utiliza a educação em música clássica para crianças e jovens como ferramenta para geração de renda e democratização da cultura. A metodologia foi vencedora do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, em 2013, na categoria Juventude. O modelo faz uso de um sistema simples de aprendizagem em que os alunos conseguem tocar o instrumento musical de maneira efetiva em um ano. Com o valor da premiação, a tecnologia social foi reaplicada para outras regiões administrativas do Distrito Federal - Vicente Pires, Ceilândia, Taguatinga e também para a cidade de Águas Lindas de Goiás (GO).

De acordo com Rejane, a premiação contribui na divulgação, ajudou a fortalecer e abriu portas. A parceria com Fundação BB também proporcionou o intercâmbio internacional de dois alunos na Accademia Nazionale di Santa Cecilia de Roma. Em 2017, recebeu recursos da Fundação BB para a aquisição de uma van, que contribui para o fluxo de atividade da orquestra e divulgação do trabalho; e ainda, a inclusão da Orquestra Vitrine em diversos eventos no DF.

Em 2018, a entidade inaugurou o galpão de tecnologia social na Cidade Estrutural, onde fica a sede, com o apoio de diversas entidades voltadas para o financiamento social e da sociedade civil, um espaço para a inclusão, protagonismo social e desenvolvimento de alternativas socioeducacionais que contribuam para a superação da vulnerabilidade social dos atendidos.

Recentemente o instituto foi selecionado para receber novos recursos da Fundação BB, para o projeto "Sabor & Som". Previsto para iniciar as atividades em março 2019, a iniciativa vai atender cerca de 60 jovens e mulheres, prioritariamente, com idade a partir de 16 anos. O objetivo é oferecer capacitação profissional em panificação e confeitaria e na estruturação de uma padaria comunitária, fruto de uma demanda social urgente na qual se encontra a comunidade local, com o fechamento do lixão que era uma fonte de renda para as famílias. A capacitação oferecida proporcionará a produção de produtos que serão comercializados na instituição, colaborando com a sustentabilidade do projeto. A produção beneficiará conjuntamente a alimentação de todos os alunos atendidos pela entidade.

Em fevereiro, serão abertas novas turmas para crianças e adolescentes e jovens que tenham interesse pela música nos cursos que já existem: primeira e segunda fase do "Notas & Canções", para crianças com idades entre 7 a 16 anos; terceira fase do "Arte do Protagonismo" para adolescentes e jovens com idades entre 16 a 26 anos (20 vagas); quarta fase do "En-canto & En-cordas", direcionado a adolescentes e jovens a partir de 16 anos (40 vagas); fomento e geração de renda "Amigos da Orquestra" (50 vagas). As atividades são gratuitas, prioritárias a pessoas em situação de vulnerabilidade social para o preenchimento de vagas. Quem não consegue vaga para o ano vigente tem o nome incluído no cadastrado de reservas da instituição.

“A gestão do Instituto Reciclando Sons tem buscado continuamente modernizar sua atuação e planejamento. É sabido que vivemos na era do protagonismo, nisso a música como tecnologia de educação se faz importantíssima para o desenvolvimento humano. Vislumbramos tornar a nossa tecnologia cada vez mais criativa, replicável e autossustentável. Nós acreditamos que estamos formando uma geração comprometida não só com o fazer musical, mas também com a complexidade que envolve a inclusão social,a sustentabilidade das ações e com a continuidade para a futuras gerações”, declarou a maestrina.

Para saber mais sobre os cursos acompanhe pelo site http://reciclandosons.org.br ou entre em contato pelo telefone (61) 3363-0036.

Publicado em Notícias

Parceria da Fundação BB, BB e o maestro João Carlos Martins pretende integrar 5 mil músicos pelo País

“O sonho do maestro Villa-Lobos era fechar o Brasil em forma de coração com a música. Por meio da música, quero realizar este sonho”. Com este desejo, o maestro João Carlos Martins lançou o projeto Orquestrando o Brasil, hoje (17), em São Paulo, ao lado do presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, do presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, e do diretor de Estratégia e Organização do BB, Carlos Netto.

Diante de jornalistas especializados em música e cultura, o Orquestrando o Brasil foi apresentado como uma iniciativa que irá apoiar, capacitar e divulgar orquestras, bandas e conjuntos musicais de todo país. Trata-se de uma expansão do projeto Orquestrando São Paulo, que mobilizou e capacitou 100 grupos musicais no estado de São Paulo, em 70 cidades diferentes, e possibilitou a organização de 20 orquestras.

Nesta expansão, pretende-se alcançar o número de 500 grupos musicais de comunidades carentes no Brasil. Na primeira etapa, será realizado levantamento e cadastro de bandas e conjuntos musicais com potencial para o projeto e, na segunda etapa, haverá o desenvolvimento de uma plataforma digital, que irá promover e disseminar conteúdos, capacitações para regentes e músicos, além de proporcionar a constituição de redes para troca de experiências e intercâmbio.

Dentre os grupos cadastrados no portal, 50 serão selecionados para atendimento por consultoria customizada, sendo priorizado o acesso de mulheres e jovens regentes nos cursos de formação. O projeto terá o investimento social de R$ 1,6 milhão em parceria da Fundação BB, Banco do Brasil e Fundação Educacional, Cultural e Artística Eleazar de Carvalho.

Durante o lançamento, o presidente Cafarelli ressaltou que o BB é parceiro da cultura brasileira há muito tempo e acredita que investir na música clássica e popular brasileira pode transformar o mundo cultural. Ele destacou o investimento nos Centros Culturais Banco do Brasil, que possuem sede em Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. "A riqueza da programação cultural que oferecemos à sociedade brasileira é impar neste propósito de buscar a inclusão social no Brasil."

O presidente da Fundação BB, Asclepius Soares, destaca que o projeto pode melhorar a vida das pessoas, que é o cerne da FBB. “Iremos identificar 50 grupos musicais de jovens e mulheres em comunidades carentes para capacitação em música. A Fundação servirá como aceleradora destes grupos”, destaca.

Ao longo do projeto, serão realizados seis eventos regionais que terão apresentação dos grupos selecionados com a regência de João Carlos Martins e a participação da Orquestra Filarmônica Bachiana.

Transformação Digital alinhada a projetos sociais e a inovação

O Orquestrando o Brasil integra o eixo Cultura Digital da causa de sustentabilidade do Banco do Brasil: Inclusão e Transformação Digital da Sociedade Brasileira, que visa estimular, desenvolver, integrar e evidenciar iniciativas do Banco e de seus parceiros que contribuam para a inclusão digital no País.

O projeto em conjunto com a Revitalização do Programa AABB Comunidade, Digitalização do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, passeios virtuais dos CCBBs, patrocínio do Prêmio Jovem Cientista, assim como as contribuições de outras iniciativas, como o BB Integra e o Ourocard Cidades, reforçam o compromisso do Banco do Brasil com a responsabilidade socioambiental e a inovação. “O Orquestrando Brasil é um projeto maravilhoso que o BB se orgulha muito em fazer parte”, finaliza Cafarelli.

 A divulgação deste projeto está relacionada ao seguinte Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS:

 04ods 100x100 05ods 100x100 017ods 100x100

Publicado em Notícias