Iniciativa tem recursos da Fundação BB, BNDES e Fundo Amazônia

A Fundação Banco do Brasil divulgou o resultado preliminar dos dois últimos processos seletivos do Ecoforte, voltados para redes de organizações de extrativismo ou produção orgânica com base na agroecologia.

O Edital número 2017/030 é destinado a novas propostas de redes ou à consolidação das já atendidas pelo certame do Ecoforte realizado em 2014, desde que integrem novos grupos ou organizações produtivas.

Confira o resultado preliminar, clique aqui.

Serão investidos até R$ 18,5 milhões, sendo que R$ 2,5 milhões destinados à consolidação e expansão de propostas já beneficiadas pelo Ecoforte, com aporte entre R$ 300 e 500 mil; e R$ 16 milhões para novas organizações, com projetos de valores entre R$ 800 mil e R$ 1 milhão.

A outra seleção que teve o resultado preliminar divulgado é o Regulamento de número 2017/031, uma chamada direta voltada à implantação e melhoria de empreendimentos econômicos coletivos de organizações já conveniadas pelo edital de 2014. Estão previstos até R$ 6,5 milhões para projetos de R$ 300 mil a R$ 500 mil.

Confira o resultado preliminar do regulamento, clique aqui.

O lançamento desses processos resgata o caráter estruturante do Programa Ecoforte e visa atender as necessidades de ampliação da capacidade produtiva, a inclusão socioprodutiva, a maturação de empreendimentos e a geração de insumos para a produção. Além disso, permite a continuidade das ações de mobilização, capacitação e intercâmbio de conhecimentos.
Encontre mais informações na seguinte página: https://www.fbb.org.br/pt-br/ecoforte2017

A iniciativa é da Fundação Banco do Brasil, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Fundo Amazônia.

Os recursos poderão financiar a construção ou reforma de instalações; aquisição de máquinas, veículos e equipamentos; capacitações e serviços técnicos especializados; e gestão e assistência técnica dos projetos apoiados.

Confira mais informações sobre o edital em fbb.org.br/ecoforte2017

Assista ao vídeo da oficina sobre o Edital Ecoforte, com informações sobre o processo de inscrição, realizado no VI Congresso Latino-Americano de Agroecologia.

Programa Ecoforte
Criado em 2013, o Ecoforte possibilitou a integração das organizações participantes, com ampliação da participação de agricultores familiares no processo de transição agroecológica, inserção produtiva de jovens e mulheres, melhoria da capacidade de produção, articulação e realização de negócios solidários nas próprias redes.

 01ods 100x100 02ods 100x100 03ods 100x100 010ods 100x100

Publicado em Notícias

Recurso de R$ 200 mil foi utilizado na compra de tratores e equipamentos para as lavouras de banana, laranja, coco, melancia e hortaliças

A Fundação Banco do Brasil investiu R$ 200 mil em duas associações do estado do Amazonas – a Associação dos Produtores Rurais Comunidade Nova Esperança (Asprones) e a Associação dos Produtores Rurais da Comunidade José Lindoso (Asprolin) -, situadas no município de Rio Preto da Eva, distante 80 quilômetros de Manaus.

A atividade incentiva a melhoria da renda familiar dos agricultores familiares, a ampliação das políticas públicas e a formação profissional, além de garantir o acesso aos direitos sociais.

Cada associação recebeu R$ 100 mil. O recurso foi aplicado na compra de dois tratores (um para cada entidade), arados, carretas e equipamentos, usados nas lavouras de banana, laranja, coco, melancia e hortaliças.

A produção é vendida de forma in natura para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), usada na merenda escolar das escolas municipais de Manaus e no comércio local. De acordo com o presidente da Asprones, Luiz Matos de Abreu, a renda dos 120 associados já melhorou em apenas seis meses. Subiu de R$ 800 para R$ 1.200. Já a Asprolin mantêm em seu quadro 94 associados.

Abreu conta ainda que a parceria trouxe também consciência ambiental aos associados. "Tratamos melhor a terra. Com os equipamentos fica mais fácil fazer a limpeza dos terrenos para o plantio. Antes usávamos motosserra e fogo nas derrubadas, agora trabalhamos pensando mais no meio ambiente, de forma sustentável", declarou.

Projetos no estado

Na quinta-feira (4), o presidente da Fundação Banco do Brasil, Gerôncio Luna, visitou algumas entidades no estado do Amazonas que receberam investimento social da Fundação BB, entre as quais, a Asprones e o Museu da Amazônia (Musa).

O Musa recebeu recurso do Ecoforte (Programa de Fortalecimento e Ampliação das Redes de Agroecologia, Extrativismo e Produção Orgânica) para atender 58 unidades de referência nas cidades de Manaus, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva e Itacoatiara, atendendo diretamente 60 produtores.

De 2006 a 2015, foram investidos R$ 15 milhões no estado do Amazonas, destinados a 93 projetos de 26 municípios. As ações atenderam 42,5 mil participantes.

Publicado em Notícias