Convênio entre a Fundação BB e a Governo do Estado cria dois polos de ensino musical nos municípios de Monteiro e Sousa

A Fundação BB e o Governo da Paraíba assinaram convênio nesta sexta-feira, 29, para a implantação de dois polos de ensino musical em Monteiro e Sousa, no interior do Estado. Os novos centros integram o Programa de Inclusão Através da Música e das Artes (Prima). O Investimento social da Fundação BB é de R$ 400 mil e será utilizado na compra de instrumentos musicais.

Criado em 2012, o Prima promove o acesso à educação musical de crianças e jovens de idades entre 8 e 18 anos, residentes em áreas de vulnerabilidade social. Atualmente, o programa atende aproximadamente 1.500 estudantes da rede pública de ensino, com aulas de teoria e prática musical em instrumentos de cordas, sopro e percussão, além de canto coral.

O presidente da Fundação BB, Asclepius Soares, destacou a importância do apoio. “O Prima tem como finalidade a inclusão social por meio da música e da arte, o que tem relação muito próxima com o nosso lema - Inclusão que Transforma. Não há nada mais inclusivo que a educação. O diferencial do projeto é permitir que essas crianças e suas famílias tenham novas perspectivas de futuro”.

Somados aos polos existentes nas cidades de João Pessoa, Conde, Santa Rita, Campina Grande, Guarabira, Patos, Cajazeiras, Catolé do Rocha e Itaporanga, o Prima passará a atuar em 16 polos, com foco em áreas mais carentes.

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, ressaltou que muitas das crianças atendidas jamais imaginariam tocar um instrumento musical ou participar de uma orquestra. “A música proporciona o aprendizado sobre a disciplina e a construção da cidadania. A parceria com a Fundação BB era antigo desejo, devido a sua atuação pela inclusão socioprodutiva. Essa parceria é uma motivo de muita alegria”.

A divulgação deste projeto contempla um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

017ods 100x100

Publicado em Notícias

Projeto conta com recurso de R$ 400 mil da Fundação BB para abertura de dois novos polos e compra de instrumentos musicais

O Programa de Inclusão Social através da Música e das Artes (Prima) vai abrir dois novos polos nos municípios de Monteiro e Sousa, no interior da Paraíba. Para essa nova fase, o projeto vai contar com investimento social da Fundação Banco do Brasil no valor de R$ 400 mil e atender um maior número crianças e jovens carentes interessados em aprender a tocar um instrumento musical.

Criado com a missão de implantar orquestras no municípios em situação de vulnerabilidade social no estado da Paraíba, o Prima oferece formação em instrumentos de sopro, cordas e percussão, além de canto coral para mais de 600 participantes. O projeto que atende prioritariamente estudantes da rede pública de ensino mantém outros doze polos nas cidades de João Pessoa, Cabedelo, Santa Rita, Campina Grande, Guarabira, Patos, Cajazeiras, Catolé do Rocha e Itaporanga

A parceria da Fundação BB com a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) prevê ainda a compra de novos instrumentos musicais. A diretora artística, Priscila Santana, explica que os alunos mais experientes podem se tornar multiplicadores dos métodos, com ajuda de custos e remuneração. “O Prima vê a música como um meio para impulsionar jovens e crianças a acreditarem nos seus sonhos e nas suas potencialidades, sejam elas artísticas ou não. Usamos a orquestra como principal meio para conquistar a cidadania. A parceria com a Fundação Banco do Brasil é importante porque vai oportunizar a ampliação do programa a duas importantes cidades do sertão Paraibano”, disse.

IMG 20170724 WA0005

Dayane Roque dos Santos, de 19 anos, foi aluna da primeira turma do Prima em Cabedelo. Moradora da região, ela já exerceu o cargo de professora de clarinete e atualmente atua como inspetora no projeto. A jovem está no terceiro período de graduação em música, com especialização em clarinete na Universidade Federal da Paraíba. “Quando descobri a orquestra, logo me apaixonei. Me empenhei ao máximo, porque queria fazer o melhor. A música despertou em mim um sentimento que eu nem sabia que tinha e foi crucial na minha escolha do curso superior. Hoje trabalho com o que amo e ainda tenho uma renda que ajudo minha família”, concluiu.

  14086249 886448621499705 821463615293591937 o15400534 1024582391002677 6143222919855397432 n2 PRIMA ensaio 9 1M6

A divulgação deste projeto contempla um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

017ods 100x100

Publicado em Notícias