Portal Interno Mulheres Agroecologia

Premiação certifica tecnologias sociais que contribuem para o desenvolvimento social no país

Numa época não muito distante, a independência financeira para mulheres agricultoras era vista como um sonho difícil de ser alcançado. Apesar de contribuírem com as atividades nas plantações e colheitas, muitas vezes, cabia às mulheres também a responsabilidade dos afazeres domésticos, do tratamento de animais e da criação dos filhos – tarefas que impossibilitavam outras atividades para gerar renda extra e não depender exclusivamente dos proventos garantidos pelo homem da casa. De alguns anos para cá, a realidade no campo mudou. A agricultura familiar se fortaleceu e com ela, o protagonismo feminino vem se destacando pelo país. Um exemplo vem de Flexeiras, no interior de Alagoas, por meio da Cooperativa Agropecuária de Alagoas (Coopaal), que desenvolveu uma metodologia para agregar o conhecimento popular das mulheres da região e, ao mesmo tempo, possibilitar a venda de produtos em feiras da localidade.

Segundo Paulo Rodrigues Agra, diretor-presidente da Coopaal, a ideia começou há pouco mais de três anos, quando se identificou a oportunidade de trabalhar com o beneficiamento de alimentos da sociobiodiversidade local. Nesta ocasião foi construída a Casa de Beneficiamento de Produtos Agroecológicos, para a fabricação de doces e geleias de frutas, além de outros produtos como bolos, pães e biscoitos. “Realizamos cursos com as mulheres da comunidade com a finalidade de escoamento da produção. Atendemos o grupo de mulheres cooperadas que fornecem a matéria-prima e hoje aproximadamente 600 pessoas são beneficiadas diretamente”, explica. 

8

   A agricultora Júlia da Silva Palmeira (foto), 57, é uma dessas pessoas. Nascida em Santana de Ipanema, no sertão alagoano, ela reside em Flexeiras desde 2010. Nessa época ainda trabalhava na roça, junto ao marido, para a subsistência do casal e cinco filhos. 

  “Antes eu trabalhava só na roça para ajudar com a renda de casa. Plantava macaxeira, principalmente. Depois que comecei na cooperativa a vida melhorou muito. Com a produção de geleia, doces e principalmente do pão caseiro de raízes, consigo uma renda melhor do que antes. Tem uma procura boa nas feiras, porque só trabalhamos com produtos saudáveis ”, avalia a cooperada.

  Primeiro lugar

  A solução “Mulheres Protagonistas no Beneficiamento de Produtos Agroecológicos” foi vencedora do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social de 2019, que identificou metodologias para o protagonismo feminino na gestão da produção agroecológica com a premiação especial Mulheres na Agroecologia. A Coopaal foi premiada com R$ 50 mil, destinados à expansão, aperfeiçoamento ou reaplicação da tecnologia social.

 A premiação deste ano teve a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Assista ao vídeo para conhecer o trabalho desenvolvido em Flexeiras (AL)

 

Confira os vídeos de todas as Vencedoras 2019 clicando aqui na playlist

Galeria de fotos Mulheres Protagonistas de Flexeiras (AL)

 

 

 

 

Publicado em Notícias