Terça, 06 Agosto 2019 10:35

Maranhão recebe mais uma edição do Nossa Feira Popular e Solidária Destaque

Escrito por Estela Monteiro
Avalie este item
(0 votos)

Nossa Feira Popular e Solidária São Domingos, Maranhão

Depois de Pedreiras, foi a vez do município de São Domingos reinaugurar a sua feira livre 

Duas cidades do Maranhão já estão com as suas feiras de rua reinauguradas: Pedreiras e São Domingos. A ação parte do Projeto Nossa Feira Popular e Solidária - uma parceria entre a Fundação Banco do Brasil e a Cáritas Brasileira e que está dentro da estratégia Município Mais que Digital do Banco do Brasil com municípios. O objetivo é fortalecer a economia local, por meio do estímulo às soluções digitais de pagamento com uma perspectiva territorial, que beneficia todos os atores locais e promove o desenvolvimento sustentável. 

A inauguração em São Domingos (MA) foi realizada no sábado (3). Assim como a feira de Pedreiras (reinaugurada em abril),  o local foi revitalizado e os feirantes receberam novos equipamentos de trabalho como luvas, jalecos e botas para proteção, balanças digitais e de grãos, lixeiras e contêineres, além de capacitação para promover os meios de pagamento digitais.

Cleunice de Freitas Santos, que trabalha na feira há 20 anos, afirmou que as mudanças levaram mais organização para a feira. “Trouxe mais higiene pra gente trabalhar aqui. Não tinha nenhuma lixeira e agora vai ter”, contou. Já Carmelita da Silva destacou a satisfação de receber barracas novas. “Nós acreditamos no projeto. A gente trabalhava com barracas velhas caindo os pedaços e hoje nós temos barracas novas e bonitas”, afirma.

O gerente do setor público do Banco do Brasil local, Thiago Augusto Sá Xavier, disse que um dos objetivos dessa ação é de estreitar a relação da comunidade com o banco. Isso foi feito por meio do programa Município Mais Que Digital, que busca fortalecer a economia local, por meio da educação financeira e do estímulo às soluções digitais de pagamento. “Tem a questão da divulgação da segurança e modernização da cidade. É para incentivar o uso do cartão e meios digitais para dar mais segurança e diminuir o dinheiro que roda na praça e com isso evitar roubos e assaltos”, destacou.

Além de Thiago Augusto, também participaram da solenidade o prefeito de São Domingos José Mendes Ferreira, o gerente da agência Banco do Brasil local José Marcus César Sousa e convidados.

Nossa Feira

O projeto Nossa Feira Popular e Solidária recebeu investimento social no valor de R$ 10 milhões da Fundação BB para ser aplicado em duas etapas e atender 21 municípios em quatro estados do Nordeste brasileiro: Piauí, Paraíba, Maranhão e Bahia. Na primeira etapa foram disponibilizados R$ 2 milhões, e no atual estágio o investimento é de aproximadamente R$ 8 milhões para revitalização, estruturação das feiras e capacitações. A iniciativa reconhece a importância das feiras livres enquanto ponto comercial, por onde circula representativa parcela da população e a influência destes espaços na construção cultural dos municípios brasileiros.

Para ampliar o alcance do projeto e valer-se do poder transformador do conhecimento, a Secretaria de Educação e os professores da rede municipal irão entregar cartilhas educativas aos alunos de escolas públicas. A cartilha gibi “Conectados” promove a educação financeira e digital desse público de forma lúdica, por meio de histórias que retratam os benefícios da utilização dos meios digitais de pagamento.

Fundação BB investiu mais de R$ 10 milhões no Maranhão

 Nos últimos dez anos a Fundação Banco do Brasil investiu mais de R$ 10 milhões no estado do Maranhão. Foram 117 projetos executados, em 50 municípios e mais de 24 mil pessoas atendidas.

No estado, o maior investimento foi em projetos de inclusão socioprodutiva. Foram mais de R$ 5 milhões investidos em cadeias de geração de renda nos projetos de reaplicação da tecnologia social PAIS – Produção Agroecológica Integrada e Sustentável e no PIS – Programa de Inclusão Socioprodutiva. O segundo maior investimento foi no programa AABB Comunidade, que atende crianças e adolescentes no contraturno escolar, que recebeu mais de R$ 2 milhões e atendeu mais de 5 mil estudantes.

Ler 345 vezes Última modificação em Terça, 06 Agosto 2019 11:22

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.