Sexta, 29 Dezembro 2017 11:07

Fundação BB e Associação do Espírito Santo fazem parceria para enfrentar efeitos da seca Destaque

Escrito por Dalva de Oliveira
Avalie este item
(1 Votar)

Projeto vai investir na melhoria da qualidade do solo e da água, além de gerar trabalho e renda para as famílias
 
A cidade de Jerônimo Monteiro, no estado do Espírito Santo, tem um lugar de destaque na produção de laranjas. Mas vem enfrentando nos últimos anos uma grave crise hídrica que tem comprometido a qualidade de vida da população e a produção agropecuária familiar.

Os desmatamentos das encostas, das matas ciliares e o uso inadequado do solo são as causas que mais contribuem para a diminuição do volume e da qualidade da água. E para minimizar os efeitos dessas ações, a Associação Rural de Jerônimo Monteiro (Arujem) criou o projeto “Elos para a Sustentabilidade: Da preservação à comercialização”. O Projeto conta com a parceria da Fundação Banco do Brasil e vai receber R$ 208 mil.

O investimento social será usado na reaplicação de tecnologias sociais, aquisição de equipamentos, assistência técnica em educação ambiental, gestão do empreendimento e comercialização. A iniciativa pretende melhorar as condições ambientais das propriedades e gerar trabalho e renda para os agricultores associados; criar estratégias de comercialização e de marketing para inserir a produção agropecuária e de agroindústria familiar em diferentes nichos de mercado e desenvolver estratégias para inserção de mulheres e jovens nas atividades rurais.

Programado para iniciar as atividades no início de janeiro de 2018, o projeto vai atender no primeiro momento 22 agricultores familiares. "Com o projeto, vamos trabalhar dentro das propriedades para buscar recuperar o que perdemos com os anos de seca e assim proporcionar aos agricultores familiares uma vida melhor. Há perspectiva de crescimento na produção de laranja, do café e na criação de gado de corte e leite, que são as maiores fontes de renda”, declarou o presidente da Associação, Ronaldo Ribeiro.  

Para alcançar os objetivos do projeto, a Arujem irá cercar nascentes; recuperar as margens dos rios com o plantio de espécies nativas; construir a tecnologia social barraginhas (pequenas escavações para reter a água das chuvas, promover a infiltração no solo e reduzir a erosão); criar terraços nos morros para reduzir a velocidade do escoamento da chuva; promover o desenvolvimento sustentável do cultivo da laranja.

Ronaldo explicou ainda que uma das metas da associação é comercializar a produção dos associados. “Vamos melhorar também a produção da laranjas para que possamos vender  as selecionadas  in natura e aproveitar as restantes na fabricação de sucos”, finalizou.

Todas as ações irão contar com assistência técnica e extensão rural, de acordo com os princípios da agroecologia e da produção integrada. O projeto prevê também a criação de um Manual de Boas Práticas Agrícolas, com a participação dos agricultores, para a disseminação do conhecimento adquirido durante a execução do projeto.

Além da Fundação BB, a Associação vai contar com a parceria do  Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), da Fundação de Desenvolvimento Agropecuário do Espírito Santo (Fundagres) e da (Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

A divulgação deste projeto contempla dois Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

03ods 100x100 010ods 100x100

Ler 1834 vezes Última modificação em Segunda, 08 Janeiro 2018 10:32

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.