Sexta, 22 Setembro 2017 14:37

Ferramentas simples trazem autonomia para pessoas com deficiência

Escrito por Assessoria de comunicação
Avalie este item
(1 Votar)

Finalista de São Paulo no Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social proporciona à pessoa com deficiência qualidade de vida e inclusão social


Wellington Augusto Gusso, até os 22 anos de idade não conseguia executar tarefas simples como escovar os dentes, comer sozinho ou até mesmo segurar um copo com água sem a ajuda da sua mãe, Janine Dias Gusso, ou de um familiar. Suas restrições motoras durante a infância e adolescência foram causadas por uma má-formação cerebral congênita - Agenesia de Corpo Caloso.

A transformação na vida do jovem ocorreu há três anos após receber atendimento na Associação Cultural Educacional Social e Assistencial Capuava – ACESA Capuava, da cidade de Valinhos (SP). Lá, teve acesso a tecnologias de baixo custo, como adaptadores de talheres e facilitadores para escrita e outras habilidades manuais.

Os instrumentos fazem parte da metodologia “Tecnologia Assistiva de Baixo Custo para Pessoas com Deficiência”, que se tornou finalista do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017, na Categoria Saúde e Bem-Estar.

"Hoje vejo meu filho executando coisas simples, mas que antes eram impossíveis. Morávamos em Apiaí, na região do Vale do Ribeira, e nos mudamos para Valinhos para que ele recebesse atendimento. Dou muito valor a cada conquista dele, como vê-lo levando alimento à boca ou boiando na aula de natação. Cada progresso traz mais liberdade. Hoje, a nossa batalha é pelo simples”, declarou Janine.

Com o trabalho de uma equipe multidisciplinar, composta por fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, assistentes sociais, psicopedagogos e pedagogos, a entidade já atendeu mais de 40 pessoas com deficiência. A ACESA Capuava também é responsável por orientar e treinar os atendidos e os familiares sobre o uso da tecnologia social.

A assistente social do projeto, Graziele Medina dos Santos, relatou que professores da rede municipal de Valinhos e de uma escola de Campinas (SP) foram capacitados para o uso da tecnologia. “É muito gratificante ver o resultado do nosso trabalho no dia a dia das pessoas. O desafio que temos é melhorar a qualidade de vida delas, proporcionar autonomia e ampliar as possibilidades de socialização”.



Prêmio
A instituição foi selecionada entre 735 propostas e recebeu a certificação de tecnologia social. Agora é uma das finalistas na categoria “Saúde e Bem-Estar” e concorre ao prêmio principal de R$ 50 mil, entregue aos vencedores em cerimônia programada para 23 de novembro em Brasília (DF).

Realizado a cada dois anos, o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social é considerado um dos principais do terceiro setor no País. Este ano, o concurso tem a cooperação da Unesco no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Você pode conferir essa iniciativa e outras finalistas acessando fbb.org.br/finalistas.


A divulgação deste projeto contempla dois 
Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

03ods 100x100 010ods 100x100 

 

Ler 414 vezes Última modificação em Segunda, 25 Setembro 2017 12:02

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.