Sexta, 16 Julho 2021 15:59

Cuidar e preservar: Dia de Proteção das Florestas Destaque

Escrito por Assessoria de Comunicação
Avalie este item
(0 votos)

WhatsApp Image 2021 05 21 at 15.19.00

Celebrado em 17 de julho, o Dia de Proteção das Florestas tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da preservação das florestas– lar de inúmeras espécies de animais e plantas – e sua biodiversidade para a qualidade de vida da humanidade. A data marca também o Dia do Protetor de Florestas, figura associada ao personagem do folclore brasileiro Curupira. Segundo o folclore, o Curupira protege as florestas das ações prejudiciais do homem, como desmatamento e caça de animais.

Iniciativas de preservação florestal, educação ambiental, conservação socioambiental, manejo sustentável e restauração de ecossistemas, fazem parte da rede Transforma! e são certificadas pela Fundação BB. Conheça algumas delas:

Sistemas agroflorestais (SAF): geração de renda e conservação socioambiental

O SAF usa a matéria orgânica como fonte de nutriente e consorcia de forma adensada espécies de diferentes ciclos de vida e que ocupam diferentes alturas. Esta Tecnologia Social de baixo impacto tem como resultados: colheita facilitada, aumento na produção e diminuição de mão de obra na capina.

Manejo sustentável de recursos florestais madeireiros em florestas de várzea

O manejo de recursos florestais é uma prática antiga, pois há muito modifica em benefício da população, plantando espécies comestíveis ou de uso medicinal próximas a seus povoamentos, ou retirando da floresta produtos florestais, madeireiros ou não, para a confecção de artesanato, vestimentas ou suas próprias casas. O manejo destes recursos foi quase esquecido pelas comunidades contemporâneas, mas esta metodologia busca com sua capacitação no manejo florestal, fornecer o conhecimento e as ferramentas necessárias para o uso consciente da floresta, e assim destacar sua importância no meio ambiente e reafirmar seu papel na sociedade.

Sistema Miyawaki de restauração de ecossistemas na Amazônia

Desenvolvido há mais de 50 anos, o sistema de recuperação florestal “Ecologia Criativa”, do prof. Akira Miyawaki, vem se tornando a base principal para o desenvolvimento do Sistema de Restauração de Ecossistemas na Amazônia, no qual nomeamos de Sistema Miyawaki. No período entre 2001 e 2019, foram reaplicadas 40 unidades deste sistema, totalizando mais de 200 mil mudas de espécies da região amazônica plantadas. A tecnologia torna-se um instrumento que visa aproximar a sociedade e sensibilizar sobre a importância das florestas do ponto de vista da preservação e do desenvolvimento do ecossistema e, através do reflorestamento, promover o retorno da biodiversidade da região.

Educando com arte na floresta

Crianças entre 5 a 14 anos de idade, do ensino fundamental, de diversas escolas do estado do Pará, recebem aulas sobre meio ambiente, realizadas dentro de uma reserva florestal. Os ensinamentos são transmitidos de forma lúdica e interativa, através de "teatro", por atores amadores com conhecimento sobre diversos temas ambientais, como: queimadas, desmatamento, uso sustentável dos recursos naturais, poluição de rios e preservação da fauna e flora. Durante uma manhã, as crianças e professores percorrem uma trilha e se deparam com personagem da mitologia amazônica entre outros, que os surpreendem e começam um intrigante, envolvente e educativo debate sobre o tema.

Projeto de olho nos olhos - proteção e recuperação de nascentes

Processo de recuperação da vegetação nativa em áreas de preservação permanente de nascentes, por meio do isolamento da área com cerca de arame farpado e o plantio de mudas nativas na área isolada. A restauração busca proporcionar o equilíbrio do ecossistema e a conservação dos recursos hídricos quantitativamente e qualitativamente, beneficiando diretamente os produtores rurais ao terem nascentes em sua propriedade recuperadas sem nenhum custo.

Análise financeira de sistemas agroflorestais

O AmazonSaf é uma planilha eletrônica, e o AnaliSafs, um aplicativo que auxiliam no planejamento de Sistemas Agroflorestais (SAFs) e permitem executar, de uma maneira simples e transparente, as análises financeiras pertinentes, que possibilitam não somente a avaliação de projetos desses sistemas de produção de forma mais adequada, mas também e, principalmente, a identificação e comprovação de que sua utilização é viável do ponto de vista financeiro, o que é determinante para que políticas públicas voltadas a sua adoção possam ser desenvolvidas e implementadas.

Implantação de SAFS-sistemas agroflorestais para composição de reserva legal

A metodologia Sistemas Agroflorestais (SAFs) consiste em plantar de forma integrada uma diversidade de plantas de porte rasteiro, baixo, médio, intermediário e alto com ciclos de vida diversos intercalados de forma que se possa aproveitar o espaço de plantio tanto na vertical quanto na horizontal em uma escala de tempo previamente planejada. O SAF imita as florestas naturais, produz hortaliças, grãos, tubérculos, frutos, madeiras, plantas capazes de fertilizar o solo. Favorece a micro e macrofauna, promove a recuperação de solos degradados, infiltra água e estreita a relação do homem com a terra. Garante autonomia alimentar para os camponeses em quantidade, qualidade e diversidade.

Carbono Neutro Idesam - promovendo renda e conservação na RDS do Uatumã

 O Programa Carbono Neutro Idesam (PCN), visa à implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs) em áreas degradadas e improdutivas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã nos municípios amazonenses de Itapiranga e São João do Uatumã, para perenizar a produção agrícola e florestal por meio de um modelo de desenvolvimento social de “baixo-carbono” aliado à geração de renda para as populações tradicionais que ali residem, compensando a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) de parceiros interessados e do próprio Idesam - Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas.

Ler 219 vezes Última modificação em Sexta, 16 Julho 2021 16:51

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.