Terça, 07 Março 2017 15:44

BB Educar Integração proporciona alfabetização no DF Destaque

Escrito por Paula Crepaldi
Avalie este item
(2 votos)


Jovens e adultos são alfabetizados por meio de projeto apoiado pelo Banco do Brasil e Fundação BB

Um grupo de moradores do Distrito Federal tem vários motivos a comemorar: romperam a barreira do analfabetismo após aprendizagem em curso do projeto BB Educar, ministrado por voluntários aposentados do Banco do Brasil e alfabetizadores. A turma formou 42 alunos que passaram a exercer a leitura e a escritura da língua portuguesa.

O curso foi oferecido em seis turmas divididas nas regiões administrativas de Itapoã, Paranoá e Santa Maria. Os alunos tinham entre 45 e 75 anos e a motivação de ampliar o círculo de convivência assim como obter melhores possibilidades de emprego e renda.

O projeto de alfabetização foi concretizado a partir da parceria estabelecida entre a Fundação BB e o Programa Providência de Elevação da Renda Familiar. Participaram também outras entidades como o Movimento de Educação de Base - MEB, as Obras Sociais da Arquidiocese de Brasília - OASSAB e o Comitê Esperança.

O BB Educar é uma tecnologia social da Fundação BB para capacitação de colaboradores que atuam em núcleos de alfabetização de jovens e adultos. A metodologia tem como base os princípios de uma educação libertadora e a prática da leitura do mundo, que considera a realidade do alfabetizando como ponto de partida do processo educativo.

Os computadores utilizados nas aulas foram adquiridos em novembro de 2016 com recursos do projeto e instalados nas sedes das entidades parceiras para a realização das aulas. O curso de alfabetização foi realizado nos seguintes instituições: ASLOI – Associação Sociocultural São Luis Orione do Itapoã, Igreja Presbiteriana do Paranoá, Paróquia São José – Santa Maria e na Capela Nossa Senhora das Graças – Condomínio Porto Rico – Santa Maria (Sul).

Além do apoio oferecido pela Fundação BB, outras entidades ajudaram na realização das aulas. Os parceiros OASSAB e Comitê Esperança deram uma ajuda de custo mensal de R$ 400 para os seis moradores das regiões envolvidas que também atuaram como educadores voluntários. O MEB ajudou na formação dos voluntários das comunidades e também colaborou na assistência pedagógica.

Manoel Souza, funcionário aposentado do Banco do Brasil e voluntário do projeto, afirmou que o curso foi uma experiência única porque houve a união de esforços de várias entidades assim como de voluntários das comunidades participantes.

A realização deste projeto contempla dois Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que faz parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.


4 10 

Ler 7480 vezes Última modificação em Quarta, 08 Março 2017 13:44

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.