Sexta, 11 Novembro 2016 10:19

Barraginhas vão proteger o solo de agricultores familiares em MG Destaque

Escrito por Alenor Alves
Avalie este item
(1 Votar)

Pequenos reservatórios evitam erosão do solo e assoreamento de rios; iniciativa vai atender 100 produtores do Vale do Urucuia

Projeto realizado pela Cooperativa de Agricultura Familiar Sustentável com Base na Economia Solidária (Copabase) prevê a construção de 300 barraginhas que beneficiarão 100 agricultores familiares. Barraginhas são pequenas bacias cavadas no solo que acumulam água da chuva e impedem enxurradas, erosões e proporcionam a reativação do lençol freático e das nascentes.

O convênio, que conta com o apoio da Fundação BB e da Brasilcap no valor de R$ 199 mil, foi assinado no dia 9 em Arinos (MG) em uma cerimônia que contou com a presença de integrantes da entidade e do Banco do Brasil na cidade.

A iniciativa prevê também a contratação de assistência técnica para o acompanhamento e monitoramento da construção dos reservatórios de água da chuva.

A água acumulada nas barraginhas vai servir para irrigar as plantações agroecológicas na região do Vale do Urucuia, localizado no norte de Minas Gerais.

Além de Arinos, outros quatro municípios da bacia do Rio Urucuia integram a área de abrangência do projeto: Chapada Gaúcha, Uruana de Minas, Urucuia e Riachinho. A gerente da Copabase, Dionete Barboza, explicou que o projeto está na fase das visitas técnicas com análise do solo nas propriedades dos agricultores. A tecnologia social auxiliará os agricultores familiares que desenvolvem cultivo agroecológico dentro do programa Ecoforte. “As barraginhas vão trazer benefícios com a preservação dos recursos hídricos e com a melhoria do solo, mais úmido e fértil”, afirmou.

Solução

As barraginhas evitam as enxurradas ao recolher adequadamente as águas da chuva. No caso do Vale do Urucuia, a tecnologia social é uma solução para o solo sem proteção vegetal e com pouca permeabilidade devido às lavouras e pastagens. A metodologia desenvolvida pela Embrapa Milho e Sorgo, de Sete Lagoas (MG), foi certificada pela Fundação BB em 2003.

Ler 2454 vezes Última modificação em Segunda, 28 Novembro 2016 18:40

1 Comentário

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.