Segunda, 20 Julho 2020 10:07

Ação Municípios Prato Cheio soma mais de R$ 10 milhões em doações Destaque

Escrito por Assessoria de imprensa
Avalie este item
(1 Votar)

Portal Inteno Municípios Prato Cheio

Primeira fase do projeto beneficiará 23.900 famílias de 30 municípios

Nem toda família brasileira tem comida na mesa garantida diariamente. E para combater este cenário, foi criado um fundo financeiro para a compra e distribuição de itens essenciais, como alimentos e produtos de limpeza e higiene. O projeto Municípios Prato Cheio para o Desenvolvimento, lançado nesta sexta-feira (17), pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), atenderá em sua fase inicial famílias de municípios com menos de 50 mil habitantes e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito baixo.

A campanha é apoiada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e realizada em parceria com a Fundação Banco do Brasil (FBB), Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Associação os Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), Confederação das Associações Comerciais do Brasil (CACB) e Fundação Hermann Hering.

A ação acontece por meio de doações que serão administradas pela Fundação Banco do Brasil, que repassará através de cartões Alelo os recursos para as Associações Comerciais, que efetuarão as compras no comércio local e realizarão a distribuição para as famílias beneficiadas. Com isso, além de atuar para mitigar os efeitos sociais da pandemia do coronavírus, o projeto fortalece a cultura de solidariedade e da compra local.

“A inciativa apoia também micro e pequenos empreendedores, que serão os principais fornecedores de produtos aos beneficiários da ação, proporcionando que os recursos fomentem a economia das próprias cidades. Por meio do SEBRAE será realizado todo apoio necessário aos negócios locais”, destaca João Pinto Rabelo Júnior, vice-presidente de agronegócios e governo do Banco do Brasil.

Com investimento social de R$ 1,1 milhão, a primeira fase, 30 municípios dos estados do Pará, Maranhão, Amazonas, Roraima, Acre, Alagoas, Piauí, Bahia e Pernambuco serão beneficiados, no critério de IDH muito baixo, alcançando 23.900 famílias. A segunda fase abrangerá 1.315 cidades com IDH baixo. Por fim, a terceira fase chegará a 2.054 Municípios, que têm IDH médio. Todas as localidades se enquadram no limite populacional de 50 mil habitantes.

“Entendendo o momento que estamos vivendo, adoramos esse projeto de ajuda voluntária. Eu acredito tanto nessa iniciativa que também estamos investindo muito e vamos trabalhar com todo afinco para que esse recurso chegue da forma mais rápida a população que mais precisa”, ressalta Asclepius Soares, presidente da Fundação Banco do Brasil.

Ler 178 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.