O prêmio de U$100 milhões poderá ser destinado à construção de cisternas no Semiárido brasileiro


A Fundação Banco do Brasil está inscrita no desafio 100&Change da fundação americana MacArthur, que escolherá uma iniciativa social para investimento de US$ 100 milhões para solucionar um problema crítico atual. Para este concurso, foi apresentada a tecnologia social Cisterna de placas e produção, iniciativa que armazena água pluvial para o consumo das famílias e também para a manutenção de atividades produtivas, como a produção de alimentos e a preservação de rebanhos de pequenos animais, nos períodos de estiagem.

Desde 2012, ao lado da Articulação Semiárido Brasileiro e de outros parceiros, já foram construídas mais de 90 mil tecnologias sociais de captação da água da chuva. A ação beneficiou mais de 400 mil pessoas. Caso seja premiado, o projeto poderá beneficiar mais de 40 mil famílias que ainda sofrem com os efeitos climáticos.

Nós podemos fazer mais.
Nós precisamos fazer mais.

Assista ao vídeo, conheça essa história e entre nessa torcida.

Vem transformar o Brasil com a gente!

 

Published in Notícias

Evento contou com a participação da Fundação BB e reuniu educadores e comunidade escolar de Campo Grande (MS)

O envolvimento da comunidade escolar no desenvolvimento local por meio das tecnologias sociais foi o tema central de evento realizado na Universidade Católica Dom Bosco, em Campo Grande, na última segunda-feira (29). O seminário "Interação das Tecnologias Sociais com Comunidades Escolares, Perspectivas de Desenvolvimento Local" contou com a participação do gerente de Parcerias Estratégicas e Modelagem de Programas e Projetos da Fundação Banco do Brasil, João Júnior.

Júnior explicou aos participantes que a implementação de tecnologias sociais geram formas criativas de aprendizagem e estimulam o protagonismo da comunidade para a transformação social. O destaque foi para a importância do professor nesse processo. "O educador tem papel fundamental em estimular a criatividade dos alunos para que eles mesmos identifiquem soluções para os problemas locais", disse.

O gerente da Fundação BB também apresentou no evento o Banco de Tecnologias Sociais (BTS) da Fundação BB, uma base de dados online que reúne metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras.

Atualmente, o BTS reúne 850 iniciativas. As tecnologias sociais desenvolvidas por instituições de todo o País podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, dentre outros parâmetros de pesquisa. Na página de cada iniciativa, há os dados dos responsáveis, possibilitando que organizações interessadas em reaplicar ou conhecer detalhes sobre o processo possam entrar em contato direto com as instituições que desenvolveram as tecnologias sociais.

O seminário teve também uma palestra com o professor doutor Paulo Roberto Padilha, do Instituto Paulo Freire-SP, e a exibição de um vídeo sobre o trabalho desenvolvido pela Escola Municipal Professor Fauze Scaff Gattas Filho, de Campo Grande. A unidade de ensino fundamental ganhou o primeiro lugar da Região Centro Oeste no Prêmio Finep 2010 em Tecnologia Social, com o projeto "Amigos da Cidadania da Cultura e do Meio Ambiente". A realização do seminário fez parte das ações desenvolvidas pelo projeto na escola.

Published in Notícias

Convênio com Fundação BB permitirá ampliar produção de hortaliças e mudas nativas na iniciativa que envolve cerca de 250 jovens

A Fundação Banco do Brasil e a Associação de Educação do Homem do Amanhã (Aehda) assinaram convênio para incrementar a produção de hortaliças e mudas nativas para recomposição florestal do Centro Ambiental Sérgio Ieda, em Araras (SP). O projeto prevê a aquisição de implementos agrícolas de pequeno porte como um novo sistema de irrigação, um sulcador sem adubadora e uma enxada rotativa. O investimento social da Fundação BB é de R$ 13 mil e o projeto envolve diretamente 250 participantes.

Com área de 28 hectares, o Centro Ambiental Sérgio Ieda da Aehda promove educação ambiental para jovens em situação de vulnerabilidade social. O Centro desenvolve cerca de 200 espécies de mudas, com capacidade de produção de até 500 mil ao ano. Os jovens são capacitados em conhecimentos ambientais com ênfase em operação e manutenção de viveiros para produção de mudas.

Apresentado pelo aposentado Pedro Donizetti de Souza, o projeto foi selecionado no edital do Voluntariado Integração BB. Educador corporativo da UNIBB em áreas como finanças e negociação, Pedro colocou à disposição da instituição seus conhecimentos e expertise. “Na Aehda, atuei como voluntário na área de educação diversas vezes e, com certeza, atuarei mais ainda. É uma entidade do bem", elogia.

Tecnologia social

Em 2001, o Programa Homem do Amanhã, da Aehda, foi certificado como tecnologia social pela Fundação BB. A iniciativa objetiva contribuir para a ascensão social de jovens de famílias de baixa renda e desenvolver neles a autoestima, o espírito de solidariedade e a consciência de cidadania. A tecnologia social Homem do Amanhã oferece cursos de capacitação profissional para inserção no primeiro emprego. Com isso aumenta as oportunidades desses jovens de acesso a uma boa formação e contato com novas tecnologias.

Published in Notícias
Friday, 01 July 2016 18:21

Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social

O Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, criado em 2001, é o principal instrumento de identificação e certificação de tecnologias sociais que compõem o Banco de Tecnologias Sociais – BTS, disponível neste site.

Realizado a cada dois anos, o Prêmio tem por objetivo identificar, certificar, premiar e difundir tecnologias sociais já aplicadas, implementadas em âmbito local, regional ou nacional, que sejam efetivas na solução de questões relativas a alimentação, educação, energia, habitação, meio ambiente, recursos hídricos, renda e saúde.

A participação no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social é aberta às instituições legalmente constituídas no País, de direito público ou privado, sem finalidades lucrativas.

As inscrições passam por um processo de triagem que inclui as fases de certificação, seleção das finalistas, julgamento das vencedoras e premiação, observados os critérios e parâmetros estabelecidos no Regulamento do Prêmio.

Em 8 (oito) edições realizadas, de 2001 a 2015, foram recebidas 6285 inscrições e concedidos mais de R$ 3,8 milhões em premiações destinadas ao aprimoramento das tecnologias sociais vencedoras por meio de projetos apresentados à Fundação Banco do Brasil.

Published in Paginas Internas