Tuesday, 24 September 2019 09:58

Hoje tem alegria? Tem, sim senhor!

Portal Interno   Trupe Saude

Trupe da Saúde proporciona humanização do ambiente hospitalar na região metropolitana de Curitiba (PR)

Um projeto desenvolvido em Curitiba proporciona mais harmonia e conforto para pacientes, acompanhantes e funcionários de cinco hospitais da região metropolitana da capital paranaense. Na receita, o ingrediente é um só: muita alegria.

Tudo começou no ano 2000, quando Ricardo Trento acompanhava o pai para exames em um hospital. O humor e o jeito leve do pai ao realizar os procedimentos serviram como inspiração para o filho, que viu nesta postura algo positivo e que deveria ser levado adiante como uma forma de tratamento para outras pessoas. Com experiência em administração, Ricardo desenvolveu um projeto e o encaminhou para a Petrobrás em busca de apoio. A proposta foi aceita e assim nasceu a Trupe da Saúde. “De lá pra cá nós fomos aperfeiçoando a ideia, levando em consideração um método respeitoso e terapêutico, pois o que buscamos é que a alegria colabore com o restabelecimento dos pacientes”, explica Ricardo.

Em 2009, a metodologia da Trupe foi certificada como tecnologia social no Prêmio da Fundação Banco do Brasil. Para Ricardo este reconhecimento foi importante em dois pontos. “Primeiro, compartilhou a nossa credibilidade institucional, nos dando mais autoridade para viabilizarmos a iniciativa ao longo desses anos. Segundo, o reconhecimento da metodologia como uma tecnologia social é uma conquista para todas as equipes que, pelo Brasil, desenvolvem atividades semelhantes em hospitais. Algumas são voluntárias, outras são profissionais, mas em comum elas têm essa preocupação com a humanização do atendimento hospitalar - que precisa ser alçada à condição de política pública”, avalia. Desde o início do projeto foram realizadas 190 visitas por ano. Em 2019, a Trupe da Saúde completa 3,5 mil idas a hospitais da cidade, alcançando cerca de 400 mil pessoas impactadas pelas palhaças e palhaços da equipe.

A Trupe

Ricardo explica que a Trupe é formada por 12 palhaços profissionais e que somaram ao seu desenvolvimento profissional as reflexões pertinentes à humanização do atendimento hospitalar. A seleção é feita pelos próprios profissionais, pois há uma continuação da filosofia e da metodologia do trabalho nesses 20 anos de Trupe.

Em Curitiba, a Trupe realiza visitas semanais aos hospitais Pequeno Príncipe, Evangélico Mackenzie, Erasto Gaertner, Cruz Vermelha e Hospital das Clínicas (HC), com interações a todos pacientes, em especial as crianças atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em meio às brincadeiras há espaço para elas falarem como se sentem e para os familiares também participarem desta vivência. “A rotina hospitalar é monótona para quem tem um internamento longo, então esse vínculo com as palhaças e palhaços interrompe a rotina e promove um relaxamento das tensões associadas aos tratamentos”, explica Ricardo.

Segundo relatos da equipe, os benefícios imediatos são os que ficam evidentes no contato olho no olho: que é a felicidade e a alegria, que são remédios para a tristeza - e depressão, que pode acometer pessoas internadas por períodos mais prolongados. Além disso, o projeto precisa obedecer a uma rotina, inclusive em respeito aos pacientes e aos seus tratamentos. “Teve um caso que a gente ficou sete anos encontrando a mesma criança. Ela nasceu no hospital e toda a passagem do quarto de isolamento para um quarto leito, do hospital para a casa dela foi acompanhada por nossa equipe. Ela foi com os atores no carro, para você ter uma ideia da força que esse vínculo ganha”, revela o idealizador do projeto.

Box Trupe da Saude

 

Como ajudar

A Trupe da Saúde é possível graças ao apoio de empresas que, por meio de lei de incentivo federais, destinam recursos à manutenção do trabalho desenvolvido pelos artistas. A coordenação fica por conta da Universidade Livre da Cultura (Unicultura), uma organização não-governamental sediada em Curitiba, focada em projetos culturais de alto impacto social. Nesse sentido quanto maior a conscientização sobre a importância da humanização do atendimento hospitalar mais bem sucedida é a campanha de apoiamento junto aos empresários. Conheça aqui os canais da Trupe: site, Facebook.

Published in Notícias

Portal Interno Finalistas
As iniciativas finalistas são de 13 estados brasileiros e de três países da América Latina. Na foto a tecnologia social Visitação domiciliar na primeira infância, de Porto Alegre (RS), é uma das finalistas.

As 24 tecnologias sociais finalistas no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2019 já são conhecidas. As iniciativas brasileiras que concorrem à premiação final são dos estados de Alagoas, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Sergipe. Já as do exterior, que disputam na categoria internacional, são da Guatemala, Colômbia e República Dominicana.

As finalistas foram selecionadas considerando-se a efetividade, inovação, sistematização da tecnologia e a interação com a comunidade. As vencedoras serão anunciadas no evento previsto para acontecer em outubro. As tecnologias sociais que promovem a igualdade de gênero e o protagonismo e empoderamento da juventude receberam um bônus de 5% na pontuação total obtida na classificação.

Abaixo a lista com todas finalistas

Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital

* Origens do Brasil – Instituto Manejo e Certificação Florestal e Agrícola – Imaflora de Piracicaba (SP);

* Arquitetura na Periferia - Instituto de Assessoria a Mulheres e Inovação – IAMÍ de Belo Horizonte (MG);

* Auditoria Cívica na Saúde - Instituto de Fiscalização e Controle – Brasília (DF);

Educação

* Vamos encurtar essa história? – Erem Frei Orlando – Itambé (PE); 

* Escola Ativa - Instituto Esporte & Educação - São Paulo (SP); 

* Tecnologias Sociais e Formação em Ciências da Natureza de Educadores do Campo - Universidade Federal de Viçosa - Viçosa (MG);

Geração de Renda

* A trama do algodão que transforma - Cooperativa Central Justa Trama - Porto Alegre (RS);

* CLOC (Criatividade – Lógica – Oportunidade – Crescimento) - Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação - Santa Luzia do Itanhy (SE);

* Turismo de Base Comunitária: melhorando vidas e preservando o meio ambiente - Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM) –Tefé (AM);

Meio Ambiente

* Plantando Águas - The Green Initiative - São Paulo (SP);

* Sistema Miyawaki de restauração de ecossistemas na Amazônia - Instituto Amigos da Floresta Amazônica – Asflora – Benevides (PA);

* Reúso de Resíduos Vítreos de Aterros Sanitários: meio ambiente e renda - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Toledo – Toledo (PR);

 

Premiações Especiais

Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico

* A trama do algodão que transforma Cooperativa Central Justa Trama - Porto Alegre (RS)

* O Algodão Agroecológico Gerando Renda e Conhecimento no Curimataú Paraibano - Associação de Apoio a Políticas de Melhoria da Qualidade de Vida, Meio Ambiente e Verticalização da Produção Familiar - Remígio (PB);

* Algodão Agroecológico no Fortalecimento da Agricultura Familiar e Associativismo - Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá – Tauá (CE);

Mulheres na Agroecologia

* Programa Educacional de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável – PEADS - Serviço de Tecnologia Alternativa – Ibimirim (PE);

* Pitanga Rosa: agroecologia, saúde e qualidade de vida - Associação Pitanga Rosa - Chapecó (SC);

* Mulheres Protagonistas no Beneficiamento de Produtos Agroecológicos - Cooperativa Agropecuária de Alagoas – Flexeiras (AL);

Primeira Infância

* Programa Municipal de Aleitamento Materno - PRÓ-MAMÁ - Prefeitura Municipal de Osório - Osório (RS);

* Programa Primeira Infância Ribeirinha (PIR) - Fundação Amazonas Sustentável - Manaus (AM);

* Visitação domiciliar na primeira infância - Secretaria da Saúde - Porto Alegre (RS);

Categoria Internacional

* Las compras públicas para un modelo territorial de comunidades indígenas Maya-Ch´orti´ - Asociación para el desarrollo integral de productores del Área Ch´orti´ - Chiquimula - Guatemala;

* Programa Ondas Atlántico para la generación temprana de vocaciones cientificas - Universidad Simón Bolívar - Barranquilla – Colômbia;

* Escuelas Ambientalmente Sostenibles y Cultura 3R - Instituto Nacional de Bienestar Estudiantil (INABIE) - Santo Domingo - República Dominicana.

A premiação deste ano foi aberta a entidades sem fins lucrativos, como instituições de ensino e de pesquisa, fundações, cooperativas, organizações da sociedade civil e órgãos governamentais de direito público ou privado, legalmente constituídas no Brasil e países da América Latina e do Caribe.

As finalistas brasileiras concorrem a R$ 700 mil em prêmios divididos entre as categorias nacionais, sendo R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 30 mil para o segundo e R$ 20 mil para o terceiro de cada uma das categorias. As três iniciativas do exterior que compõe a categoria Internacional foram identificadas como tecnologias sociais que possam ser reaplicadas no Brasil e que constituam efetivas soluções para questões relativas a Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital; Educação,Geração de Renda e Meio Ambiente.

Todas as finalistas ganharão um troféu e um vídeo retratando a iniciativa. Além disso, serão convidadas a participar do Encontro de Tecnologia Social, a ser realizado em Brasília (DF), antecedendo a noite de premiação. Elas também passaram a fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais (BTS).

Nesta edição o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Banco de Tecnologias Sociais

O BTS é uma base de dados on-line que reúne atualmente 1.110 metodologias certificadas por solucionarem problemas comuns às diversas comunidades brasileiras nas áreas de: Alimentação, Educação, Energia, Habitação, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Renda e Saúde. Acesse aqui para conhecer.

 

Conheça as 24 Finalistas aqui

Confira a lista das 123 Certificadas aqui

Published in Notícias